15 detentos que comandaram chacina em presídio são ouvidos pela polícia

Algumas salas da seccional urbana de Altamira serviram para separar os quinze detentos apontados pela polícia como organizadores da ação que matou pelo menos 57 pessoas dentro do Centro Regional de Recuperação.

Nessa etapa, a polícia tenta descobrir o motivo que gerou as mortes. Muitas delas por asfixia, já que os presos inalaram muita fumaça produzida pela queima de colchões nas celas. “Sabemos que foi um ataque de uma facção contra outra”, disse em coletiva o Secretário Extraordinário para Assuntos Penitenciários da Susipe, Jarbas Vasconcelos.

Seis delegados de municípios da região sudoeste do Pará estão na cidade para ajudar nas investigações. Eles passaram a noite ouvindo alguns detentos.

A Susipe determinou a transferência de 46 detentos, que segundo as investigações, tem envolvimento no massacre. Os apontados como líderes da ação serão encaminhados ao presídio federal de Catanduvas no estado do Paraná.

O governador Hélder Barbalho se pronunciou sobre a briga de grupos rivais que acabou nas mortes dos detentos. Através de um vídeo divulgado nas redes sociais ele lamentou o massacre, mas informou quais serão os próximos passos. “Desde o início do governo temos feito todas ações para conter o crime fora e dentro do sistema carcerário[…] Falei com ministro Sérgio Moro para a transferência e vamos prosseguir com intuito de resgatar nossa estrutura carcerária”, declarou Hélder.

(Denilton Resque)

Aumenta para 57 número de mortes confirmadas em presídio de Altamira

No início da tarde desta segunda-feira (29) Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) havia confirmado a morte de 52 detentos. Durante a tarde o número passou pra 57. Desses, 16 foram decapitados e os outros teriam morrido por asfixia, em um incêndio iniciado pelos internos. As únicas armas encontradas, até o momento, foram “estoques”, que são facas artesanais.

O superintendente do sistema penitenciário e uma equipe da segurança pública, desembarcam em Altamira para auxiliar a equipe local. Serão enviados ainda, carros com câmaras frias para transportes dos corpos até Centro de Perícia Renato Chaves na capital. Um caminhão frigorífico também teria sido contratado para dar apoio na retiradas dos corpos. Em nota a prefeitura disse que está acompanhando a situação.

Em um comunicado, a Ordem dos Advogados do Brasil, Subseção Altamira-Pará, informou que “acompanha de perto os últimos acontecimentos relacionados à rebelião de detentos, no Centro de Recuperação Regional de Altamira. Desse modo, aguarda que o Estado tome as soluções mais adequadas e equilibradas para controlar a revolta, preservando a integridade física, tanto daqueles que estão custodiados, como a dos integrantes do sistema de segurança que estejam atuando nessa operação.”

Caminhão para retirada dos corpos (Foto: Paulo Henrique Oliveira)

(Mayara Freire)

Presos ateiam fogo em Centro de Recuperação de Altamira; veja vídeo

Matéria atualizada às 11h58.

O Grupo Tático Operacional – GTO, já está dentro do presídio de Altamira. A rebelião foi controlada. Segundo informações extraoficiais, vários internos foram degolados. A Susipe anunciou uma coletiva, em Belém, ás 12h para dar mais detalhes do ocorrido no local.

Um grupo de detentos ateou fogo na penitenciária de Altamira, nesta segunda-feira (29). Em nota a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) informou que atua para controlar a rebelião. Segundo o órgão, a ação provocada pela briga entre organizações criminosas. A rebelião teve início por volta das 7 horas, quando internos do bloco A, onde estão custodiados presos de uma organização criminal, invadiram o anexo onde estão internos de um grupo rival. Alguns destes foram mortos.

Após a primeira ação, o anexo foi trancado e os presos atearam fogo no espaço. De acordo com a Susipe, a fumaça invadiu o anexo e há presos mortos por asfixia. Não há dimensão do total de mortos até o momento. O Grupo Tático Operacional da Polícia Militar está no local. A Polícia Civil, a Promotoria e o Juizado de Altamira também estão na unidade participando das negociações para liberação dos reféns.

Dois agentes prisionais foram feitos reféns, mas já foram liberados. Eles estavam com algumas escoriações e foram levados até a Unidade de Pronto Atendimento – UPA.

Confira as imagens divulgadas pelas redes sociais.

(Mayara Freire)

Homem é morto e duas mulheres são baleadas no RUC Laranjeiras, em Altamira

Edson de Souza Raposo, 26 anos, foi assassinado neste domingo (16) no Reassentamento Urbano Coletivo Laranjeiras. Ele comemorava o aniversário de uma amiga quando, segundo testemunhas, uma pessoa a pé chegou e atirou no jovem pelas costas. Os tiros foram na cabeça e Edson morreu no local.

Duas mulheres também foram atingidas, uma delas com um tiro de raspão no braço e outra com um tiro na nádega. A primeira foi atendida no local, a segunda foi socorrida por um vizinho e levada a Unidade de Pronto Atendimento – UPA. As duas estão bem.

O crime aconteceu na Rua Pirarara por volta de 17h. Segundo um dos vizinhos, foram vários tiros. A vítima era proprietária de um restaurante no Mercado Municipal. A polícia civil esteve no local e investiga o caso.

(Mayara Freire)

Assista ao vídeo

Já ouviu falar nas tranças Box Braids? Tendência que precisa de cuidados

Na história, as tranças existem desde 3.500 anos antes de cristo e continuam fazendo sucesso, principalmente, nos dias atuais. Existem cerca de 10 formas diferentes de fazer tranças e os materiais se diferenciam. Mas, não é tão fácil manter o penteado. Rayane Costa decidiu colocar a trança, mas semanas depois começou a achar que algo estava estranho e procurou a profissional que fez o serviço. “Apareceu umas coisas brancas, e eram as cutículas do cabelo que estavam saindo”, conta.

O susto que a dona de casa teve com as tranças serve de exemplo para quem opta por colocar o material no cabelo. Profissionais afirmam que caso não haja um cuidado com as tranças, os fios podem quebrar e acabar com a autoestima de uma mulher. “Algodão se você usar, por exemplo, vai dar problema com certeza absoluta”, explica o cabeleireiro Gil Martins.

Existem vários tipos de tranças, entre eles está a trança nagô, e acreditem elas eram utilizadas para desenhar mapas. Trazida ao brasil pelos escravos durante o período colonial, a trança ressurgiu com força nos anos 70. A partir daí não saiu mais de moda. Todos os anos, a cada estação, o penteado revive com mais criatividade. Para quem está passando pela transição, a trança é uma ótima opção. “Eu nunca alisei meu cabelo, mas chegou um ponto que eu não me reconhecia mais, vivia com ele preso, e pensei que essa seria uma ótima forma de me sentir bem de novo”, conta Geovana Amaral.

Tipos de fibras sintéticas que podem ser inseridas nas tranças

Cada fibra sintética oferece um efeito e custo benefício diferentes, ok?! Por isso, é bacana analisar as opções abaixo e escolher aquela que melhor se encaixa nos seus objetivos. Então anota aí:

  • Jumbo: essa versão é a mais comum entre homens e mulheres. Isso porque ela é mais leve, mais fácil de encontrar e costuma ter um preço mais acessível também. O resultado é simplesmente fantástico.
  • Kanekalon: já pesa mais nos cabelos, não é tão fácil assim de encontrar e geralmente seu preço é um pouco mais caro. Entretanto, o resultado é divino e bem natural.
  • Lã: seu grande diferencial são as box braids coloridas e estilosas. Se você busca algo nessa linha, então deve apostar sem medo no modelito. Além disso, a lã é mais leve e tem seu custo mais baixo.

Como cuidar

Já está com as box braids, mas não sabe como cuidar? Atenção: são necessários alguns cuidados específicos com as tranças sintéticas para que o seu cabelo natural não seja danificado. O primeiro deles é lavar os fios uma vez na semana com shampoo, esfregando a raiz delicadamente com as pontas dos dedos no sentido trançado.

Evite usar condicionador, pois ele pode soltar as tranças e deixar o couro cabeludo ensebado/oleoso. Lembre-se também de verificar antes de dormir se o seu cabelo está 100% seco. Isso ajuda a evitar fungos e bactérias que podem aparecer. Para inibir o aparecimento de frizz, indica-se ainda o uso de turbantes e toucas na hora de dormir, protegendo as madeixas do atrito causado pelo travesseiro. (Fonte:Todecacho)

(Athaynara Farias)

Acusado de matar colega mototaxista pode ser solto

Um pai que se emociona ao falar do filho assassinado em setembro de 2018, no bairro Santa Ana. Júlio Cezar Alves De Souza, de 32 anos, foi morto com golpes de facão. Um crime brutal que deixou marcas na família da vítima.

Júlio Cezar foi decapitado. O principal acusado morava em frente ao quarto dele em uma vila. O motivo da confusão seria por ciúmes. Antônio Teixeira Vieira Correa Júnior natural de Porto Velho, que estava na cidade há pouco tempo, é o principal acusado pelo crime, ele teria imaginado que a vítima e a esposa poderiam ter um caso.

Tanto Júlio Cezar Como Antônio Teixeira eram mototaxistas. Na época do crime, a categoria se revoltou e saiu às ruas pedindo justiça e celeridade nas investigações, já que após cometer o homicídio, Antônio fugiu. Mas em menos de 24 horas, após uma denúncia anônima, a polícia conseguiu encontrar o suspeito, no ruc Jatobá. Segundo os policiais, o homem estava tranquilo e assistindo tv. Na delegacia, ele não quis responder os questionamentos da imprensa.

Noves meses após a prisão, a família vive um dilema pela falta de uma testemunha. O pai de Julio Cezar teme que Antônio possa conseguir liberdade.

A audiência foi marcada para a manhã desta terça-feira (11) no fórum de Altamira. Seu João, que é funcionário público, diz que vai continuar pedindo justiça para evitar que Antônio saia do presídio. Segundo o vigilante outros casos que ganharam destaque na imprensa mostram que existem brechas nos processos.

Em maio de 2018, por exemplo, a justiça concedeu alvará de soltura para Luiz Fernando Falcão Oliveira, assassino confesso de Luciano dos Santos, o Lu Brasil. A razão não foi divulgada, já que o processo tramita sob segredo. O acusado tinha passagem pela polícia pelos crimes de tráfico de drogas e roubo e agora responde por homicídio fora das grades.

Já em junho do mesmo ano, os acusados pelo triplo homicídio da família Buchinger, crime registrado em janeiro de 2016, também conseguiram liberdade após uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Nenhum ainda foi condenado. No caso do mototaxista, seu João espera que o desfecho seja outro.

(Raiany Brito)

Assista ao vídeo

Caravana solidária inicia oficinas gratuitas em Rucs

A dona de casa Maria Mota saiu da rotina na segunda-feira (10). Ela e as colegas do Reassentamento Urbano Coletivo Jatobá se inscreveram em uma oficina para aprenderem a fazer geleia.

A oficina faz parte do projeto da Caravana Solidária. Outras oficinas também estão sendo oferecidas aos moradores do Jatobá e Casa Nova. Cerca de 30 pessoas tiraram um tempinho para aprender mais. Outra ação do projeto é a oficina de sistemas aquapônicos, que é um sistema de produção de alimentos que combina a criação de organismos aquáticos tais como caramujos, peixes, lagostas e camarões com o cultivo de plantas em água em um ambiente simbiótico.

A oficina de audiovisual iniciou no Ruc Casa Nova. O ministrante Léo Platô, que produziu o clipe “No meio do pitiú” da cantora Dona Onete e produz a websérie musical “sampleados” acredita que oficinas como essa fazem com que os próprios moradores enxerguem o bairro com outros olhos.

Um dos participantes da oficina vai utilizar as técnicas ensinadas por Léo para iniciar o projeto de youtuber. Jhonlenon Peron é motorista mas quer investir em vídeos para internet.

As oficinas vão até o próximo dia 14 de junho. No domingo, dia 16 haverá o encerramento da caravana com apresentação de shows, a cantora Joelma Kláudia, coordenadora geral do projeto aproveitou para convidar a população. Clique aqui para conferir o calendário.

Caravana Solidária

O projeto busca a proteção de direitos, a valorização e o respeito pelas múltiplas expressões artístico-culturais existentes, a disseminação de melhores práticas sociais, o resguarde da cidadania, a igualdade de gêneros, o aperfeiçoamento de instituições, o empoderamento de pessoas e organizações visando a transformação dosreassentamentos urbanos coletivos (RUCs) da cidade de Altamira.

O objetivo principal do projeto é capacitar jovens e adultos, moradores dos RUCs, para o mercado através da economia criativa acarretando renda e dignidade para aqueles que se encontram em situações de vulnerabilidade.

Assista ao vídeo

Norte Energia se reúne com agricultores para tratar sobre de área de preservação

Na manhã de segunda-feira (10) agricultores se reuniram com a empresa Norte Energia para tratar sobre o acordo feito sobre as áreas de preservação. Após a reunião com o Ministério Público Federal, no mês de maio, a Norte Energia se reuniu com os agricultores para tratar das áreas de preservação na qual eles são os atuais proprietários. A reunião aconteceu no escritório da empresa construtora de Belo Monte, situado no Ruc Jatobá.

Aproximadamente 50 agricultores pertencem às áreas gleba bacabal, Paratizinho I e II, e outras regiões que cercam o rio Xingu. O agricultor Jailton Andrade afirma que até o momento ainda não recebeu a segunda parte da indenização que ficou acordado com a empresa.

Somente alguns agricultores entraram na sala para discutir sobre as áreas com os representantes da empresa norte energia. Em nota a empresa informou que prestou os devidos esclarecimentos aos proprietários e reafirma seu compromisso de diálogo com a população. Um dos agricultores que entrevistamos informou a nossa equipe que nada foi resolvido ao final da reunião, mas foi decidido que outra reunião será marcada em julho.

Estudantes plantam mais de 100 mudas na semana do meio ambiente

Mais de 100 mudas foram plantadas por estudantes na manhã da última sexta-feira (7), no canteiro do Anel Viário. Ação faz parte de um projeto de arborização de Altamira. As atividades foram em comemoração à semana do meio ambiente.

Crianças de três escolas participaram da ação. Plantavam cada muda com muita animação, e unidos, não esconderam a felicidade de poder ajudar o meio ambiente.

Para a diretora Elisama Prado, da escola Ester Figueiredo, é muito importante a participação dos alunos em ações como estas, que reforçam a conscientização de proteger o ambiente, sem contar com a oportunidade de sentirem a vibração de contribuir com o planeta.

As mudas foram doadas pela prefeitura de Altamira que também é parceira do projeto. A Aída lembra que a conscientização e também, preservação do meio ambiente são necessárias para um futuro melhor. Outros pontos da cidade devem ser arborizados com o projeto.

(Karine Weil)

Forró Apaexonado supera expectativa de organizadores.

As bandeirolas coloridas anunciam que o São João chegou. No Forró dos Apaexonados, quem comprou o bingo ou consumiu no local, ajudou os meninos e meninas da Apae e a associação a manter suas ações durante todo o ano. O evento que começou pequeno, hoje já se tornou uma grande estrutura, que conta com apoio de vários órgãos solidários com a causa. É o caso do empresário Paulo Santana que contribui há alguns anos.

O evento nasceu há 20 anos e para celebrar e esse ano superou em 50% a edição do ano anterior, conforme a organização. A festa começou cedo e entrou a noite. O evento é realizado em um aras da cidade com entrada franca. O valor arrecadado é investido na instituição.

Assista ao vídeo