Baixe o APP vale do Xingu

Domingo, 19 de Setembro de 2021 20:11
93 99192-6623
Geral Trabalhadores

Trabalhadores fazem protesto contra a reforma da previdência em Altamira

Trabalhadores fazem protesto contra a reforma da previdência em Altamira

22/03/2019 10h27 Atualizada há 2 anos
Por: confirmanoticia
Trabalhadores fazem protesto contra a reforma da previdência em Altamira

Cerca de 300 pessoas se reuniram nesta sexta-feira (22) para

protestar contra a reforma da previdência. A paralização iniciou em frente ao

Sindicato dos Trabalhadores da Educação Pública do Pará, o SINTEPP, em Altamira.

Moradores de Brasil Novo e Medicilândia também participam do ato.

A manifestação faz parte de uma programação nacional. Todos

os estados  e o Distrito Federal

organizam ações para o Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência, em

resposta à proposta de “reforma” apresentada pelo governo de Jair Bolsonaro.

O presidente anunciou essa semana a reforma da previdência

dos militares. Os benefícios concedidos geraram indignação, com isso a análise

da proposta de reforma da Previdência sofreu mais um atraso, na Câmara. Foi

adiada a escolha do relator na Comissão de Constituição e Justiça.

O próprio líder do PSL, partido do presidente Jair

Bolsonaro, explicou por que a indicação do relator, marcada para esta quinta-feira

(21), foi adiada. Os líderes querem ouvir antes as explicações do ministro da

Economia, Paulo Guedes, sobre a reforma da Previdência e sobre a proposta de

reestruturação da carreira dos militares.

A reestruturação de carreiras dos militares vai gerar uma

despesa de R$ 86,85 bilhões em 10 anos. Enquanto isso, as mudanças no sistema –

que elevará as alíquotas de contribuição previdenciária de 7,5% para 10,5% até

2022, incluindo para pensionistas que não tinham desconto algum, mas não impôs

a idade mínima de aposentadorias para os oficiais – devem implicar em uma

redução de despesa de R$ 97,3 bilhões em uma década.

Confira alguns pontos da reforma para os trabalhadores

Para ver a proposta completa clique aqui

Idade mínima

A proposta cria uma idade mínima de aposentadoria. Ao final

do tempo de transição, deixa de haver a possibilidade de aposentadoria por

tempo de contribuição.

Para mulheres, a idade mínima de aposentadoria será de 62

anos, e para homens, de 65. Beneficiários terão que contribuir por um mínimo de

20 anos.

Essa idade mínima vai subir a partir de 2024 e, daí em

diante, a cada quatro anos, levando em consideração a expectativa de sobrevida

do brasileiro.

Mudança no cálculo do

benefício (RGPS)

O cálculo do benefício leva em conta apenas o tempo de

contribuição. O trabalhador terá direito a 100% do benefício com 40 anos de

contribuição.

Com 20 anos de contribuição (o mínimo para os trabalhadores

privados do regime geral), o benefício será de 60%, subindo 2 pontos

percentuais para cada ano a mais de contribuição.

Quem se aposentar pelas regras de transição terá o teto de

100%. Quem se aposentar já pela regra permanente não terá esse teto, podendo

receber mais de 100%, se contribuir por mais de 40 anos. O valor do benefício,

no entanto, não poderá ser superior ao teto (atualmente em R$ 5.839,45), nem

inferior a um salário mínimo.

Aposentadoria rural

Para os trabalhadores rurais, a idade mínima de

aposentadoria proposta é de 60 anos, para homens e mulheres. A contribuição

mínima será de 20 anos.

Servidores públicos

Servidores públicos terão idade mínima de aposentadoria

igualada à dos trabalhadores do setor privado: 62 para mulheres e 65 para

homens. O tempo de contribuição mínimo, no entanto, será de 25 anos, sendo

necessário 10 anos no serviço público, e 5 no cargo.

O valor do benefício será calculado da mesma forma do regime

geral.

Professores

Professores poderão se aposentar a partir dos 60 anos, mas

com tempo mínimo de contribuição de 30 anos.

Para os professores no Regime Próprio (servidores), será

preciso ainda 10 anos no serviço público, e 5 no cargo.

Aposentadoria de

deputados federais e senadores

Proposta prevê 65 anos de idade mínima para homens e 62 anos

para mulheres, e 30% de pedágio do tempo de contribuição faltante. Novos

eleitos estarão automaticamente no regime geral, com extinção do regime atual.

Hoje, a idade mínima é de 60 anos de idade mínima para

homens e mulheres, com 35 de anos de contribuição. Benefício é de 1/35 do

salário para cada ano de parlamentar.

Aposentadoria de

policiais civis, federais e agentes penitenciários e socioeducativos

Os que ingressarem terão seus benefícios calculados pelo

mesmo critério do RGPS. Os que tiverem ingressado antes disso receberão a

remuneração do último cargo.

Para policiais, a idade mínima para aposentadoria ficará em

55 anos, com tempo mínimo de contribuição de 30 anos para homens e 25 para

mulheres, e tempo de exercício de 20 anos para eles e 15 para elas.

Para agentes, os critérios serão os mesmos, excetuando o tempo de exercício, de 20 anos para ambos os sexos.

(Com informações G1)

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Altamira - PA
Atualizado às 20h05 - Fonte: Climatempo
31°
Pancada de chuva

Mín. 24° Máx. 36°

35° Sensação
9.1 km/h Vento
61.4% Umidade do ar
67% (6mm) Chance de chuva
Amanhã (20/09)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 24° Máx. 36°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.
Terça (21/09)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 24° Máx. 35°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.