MC Kallebe, do hit ‘Cabelin na régua’, morre aos 16 anos

O cantor Kalleb Oliveira, 16, conhecido como MC Kallebe, foi encontrado morto hoje pela manhã. Ele estava desaparecido desde ontem à tarde quando entrou no rio Ururaí, em Campos dos Goytacazes, no norte do estado, junto com um outro amigo, que também faleceu. A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros.

Nas redes sociais, amigos da família de Kalleb pediam orações para que os adolescentes fossem localizados com vida. Os Bombeiros informaram que ontem, por volta das 16h40, receberam o chamado para a ocorrência. Ao chegarem no local, só encontraram as bicicletas das crianças. As buscam chegaram a ser retomadas hoje, às 6h, mas, por volta das 11h, os dois foram localizados pelos Bombeiros e as famílias reconheceram os corpos. Quatro militares participaram da ação.

A psicóloga Millena Rios, 33, amiga da família há cinco anos, disse ao UOL que Kalleb sempre tentou ajudar a mãe, o padrasto e os irmãos, e tinha o sonho de ser um MC famoso:

“O Kalleb era um menino sem maldade, alegre, bom de coração, prestativo, o que dependesse dele para ajudar, ele ajudava. Ele tinha muito desejo de ajudar a família, teve uma esperança muito grande dele mudar de vida, mas infelizmente as coisas não ocorreram como ele imaginava. Nunca pediu R$ 1, o que ele pedia era alimento para a família. A gente está sem chão”.

O cantor Edmilson Monteiro, marido de Millena, chegou a realizar uma live para ajudar a família financeiramente. Emocionado, o artista, que acompanhou as buscas, desabafou nas redes sociais:

“Um menino que estava com a gente domingo, muito feliz. Sempre falava comigo que só queria cestas básicas para a família dele. Eu vou assumir esse compromisso em homenagem a ele. Vamos para o IML (Instituto Médico Legal) e agora vou ajudar a família com o enterro. Só Deus, muito triste”, desabafou o cantor.

Ainda não há informações sobre o enterro de Kalleb. Em nota, a Polícia Civil informou que “as investigações estão em andamento. Familiares das crianças serão ouvidos para determinar as circunstâncias do fato”.

‘Cabelin na régua’

O cantor Mc Kallebe ficou famoso após lançar a música “Cabelin na Régua”, em 2018, uma parceria com MC Bin Laden. O hit chegou a ter mais de 9 milhões de visualizações no YouTube. MC Bin Laden publicou uma foto ao lado de Kalleb com a frase “descanse em paz”.

O menino ficou conhecido na internet após gravar vídeos cantando músicas famosas e no final falava bordões como “bigodinho fininho”, “cabelinho na régua”, “gostosinho no azeite” e “tô solteiro”.

(UOL)

Eleições 2020:TSE lança tira-dúvidas no WhatsApp

Para ajudar a tirar dúvidas dos eleitores, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lançou um assistente virtual que funciona pelo aplicativo do WhatsApp. Chamado de “Tira-Dúvidas Eleitoral no WhatsApp”, o recurso foi lançado com o objetivo de facilitar o acesso do eleitor a informações relevantes sobre as eleições municipais de 2020 e reforçar o combate à desinformação durante o período eleitoral.

O tira-dúvidas funciona por meio de um chatbot ou bot (assistente virtual), como também é chamado, que traz informações sobre diferentes temas de interesse do eleitor, desde cuidados com a saúde para votar, informações sobre dia, horário e local de votação até dicas para mesários e informações sobre candidatura, entre outros temas.

Para interagir com o assistente virtual, basta acessar a câmera do seu celular e apontá-la para o QR Code, ou adicionar o telefone +55 61 9637-1078 à sua lista de contatos, ou por meio do link wa.me/556196371078.

A cada tema apresentado, o chatbot oferece uma série de tópicos para o eleitor escolher. Após digitar o número do tópico escolhido, o assistente virtual apresenta as informações solicitadas.

Segundo o TSE, o assistente virtual oferece ainda um serviço voltado exclusivamente ao esclarecimento de notícias falsas, as chamadas fake news, envolvendo o processo eleitoral brasileiro. O tópico, chamado de “Fato ou Boato?” disponibiliza ao usuário alguns conteúdos desmentidos por agências de checagem de fatos.

Por meio dele é possível desmistificar “os principais boatos sobre a urna eletrônica ou assistir a vídeos do biólogo e divulgador científico Átila Iamarino, com dicas de como identificar conteúdos enganosos disseminados por meio da internet durante a pandemia de covid-19, informou o TSE.

Além disso, o TSE firmou acordo com representante do setor de telecomunicações no Brasil, para garantir que usuários possam acessar conteúdos do site da Justiça Eleitoral sem gastar seu pacote de dados entre setembro e novembro, no período que vai desde a campanha eleitoral até o fim do segundo turno.

(Agência Brasil)

Justiça Federal ordena retirada de grileiros de assentamentos em Anapu e Senador José Porfírio

Em plena pandemia de covid-19, grileiros desobedecem ordens judiciais de reintegração de posse e seguem ameaçando e praticando violências contra assentados da reforma agrária na região de Anapu, no Pará. A situação é tensa nos assentamentos Itatá, em Senador José Porfírio, e Pilão Poente III, em Anapu. Nesse último, os grileiros queimaram a casa de uma família de assentados no início de outubro e bloquearam uma estrada municipal impedido a passagem dos agricultores.

Em dois processos de reintegração de posse que tramitam na Justiça Federal em Altamira, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) já comprovou se tratarem de terras públicas e obteve decisões de despejo contra os invasores, mas eles permanecem nos assentamentos ameaçando os agricultores e cometendo vários tipos de violências. O Ministério Público Federal (MPF) se manifestou nos dois processos e pediu que os grileiros sejam despejados com urgência, com uso de força policial.

Nos dois casos, a Justiça atendeu o pedido e emitiu ordens contra quatro invasores, que devem ser cumpridas com auxílio das forças de segurança do Estado. O MPF demonstrou que nas duas situações deve-se abrir exceção para a suspensão de despejos judiciais em vigor no país durante a pandemia de covid-19: a grave situação de saúde pública em vez de impedir a reintegração de posse, a impõe. “Não cabe potencializar a pandemia como uma oportunidade para acelerar uma empreitada dirigida à grilagem de terras”, sustentou o MPF.

No assentamento Pilão Poente III, em Anapu, os grileiros Joana Bezerra Brito e Moacir Inácio dos Santos desobedecem decisão de reintegração de posse e, numa tentativa de falsificar a posse da fazenda Sombra da Mata, registraram partes do assentamento em seus nomes no Cadastro Ambiental Rural (CAR) e no Sistema de Gestão Fundiária (Sigef), em março deste ano. As terras são comprovadamente públicas e as informações inseridas nos sistemas são fraudulentas.

Em vistoria na área, técnicos do Incra verificaram que os invasores impediram o trânsito pela Vicinal Catarina, de 37,52 km, construída pelo instituto com apoio da prefeitura de Anapu. A estrada custou mais de R$ 2,7 milhões aos cofres públicos e deveria servir para escoar os produtos dos assentamentos da região, mas está bloqueada pelos grileiros. No início de outubro, uma das famílias assentadas sofreu um ataque e teve a casa e todos os pertences queimados. O ataque está sendo investigado pela polícia mas a situação permanece tensa na região.

“O intuito indisfarçável e indisfarçado é o de inibição de resistência social contra condutas de apropriação de áreas públicas. Para atingir esse intento intimidatório, conta-se com emprego de instrumentos de violência, mediante uso de capangas, prática de atentados e destruição de moradias”, relatou o MPF em sua manifestação, informando que o assentamento é cercado por conflitos fundiários e foi palco de vários episódios de violência. “Em um momento sensível como o atravessado no contexto de uma pandemia, exige-se maior, e não menor, intervenção das forças estatais”.

No assentamento Itatá, em Senador José Porfírio, município vizinho a Anapu, os grileiros Silvino Rodrigues Rocha e o genro, Antônio Carlos Silva, já foram ordenados a sair das terras públicas por ordem judicial três vezes, mas retornaram para o local. A última ordem de reintegração de posse foi em 2019 e os invasores voltaram para o local no dia seguinte à saída do oficial de justiça. Silvino Rodrigues Rocha responde a ação criminal pelo crime de invasão de terras públicas e por ter usado de violência para expulsar os assentados do local, mas segue ameaçando as famílias assentadas. Nos dois processos, o MPF se manifestou pedindo urgência na retirada dos grileiros, com uso de força policial, para conter as ameaças e as violências contra os assentados. “Evidencia-se, de modo cristalino, tentativa deliberada de resistência e oposição à autoridade do pronunciamento jurisdicional, resultando, em verdade, numa espécie de suposição de um estado de coisas completamente avesso ao direito, como se os atos de grilagem não se submetessem ao escrutínio judicial”, dizem as manifestações do MPF.

(Assessoria)

Projeto Resgatando vidas recebe doações

Os kits arrecadados pela técnica de saúde bucal que realizou o desfile os pés entre as colegas de trabalho foram entregas ao resgatando vidas.

Confira a reportagem completa.

 

Governo faz repasse de verbas para Hospital de Campanha de Altamira

Após dois meses de salários atrasados, funcionários do Hospital de Campanha de Altamira foram pagos.

O repasse do recurso foi realizado durante uma reunião entre o prefeito de Altamira, Domingos Juvenil, e a organização social que gerenciava o Hospital de Campanha.

No início do mês de outubro os trabalhadores realizaram uma manifestação cobrando os salários que estavam atrasados. Sem resposta do governo do estado, eles pediram apoio ao município.

O hospital de campanha entrou em atividade no dia 17 de julho e ficou em funcionamento por dois meses. Durante o período de em que estava operando, a unidade atendeu 149 pacientes.

 

PF realiza ação contra trabalho escravo em Medicilândia

A Polícia Federal de Altamira, realizou ontem uma fiscalização para averiguar denúncia de trabalho escravo em uma fazenda no município de Medicilândia.

Segundo a denúncia recebida no Ministério Público Federal por um homem que teria trabalhado na fazenda, ele teria sofrido maus tratos com outros trabalhadores em uma plantação de cacau, onde roçavam a terra e aplicavam veneno. As condições de trabalho, segundo ele, eram péssimas, análogas às de escravidão.

Após investigações preliminares, uma equipe de policiais realizou diligência no local na quarta feira (21), onde entrevistou meeiros e diaristas que trabalham na fazenda. Entretanto, não foram constatadas condições degradantes, conforme a denúncia, e que possíveis irregularidades seriam apenas na esfera trabalhista, segundo apurações preliminares.

A Polícia Federal reafirma seu compromisso com a defesa dos direitos humanos e apuração da verdade dos fatos.

Gás pode chegar a R$100 com novo reajuste

A Petrobras anunciou na terça-feira (20) um reajuste de 5% no preço médio do Gás Liquefeito de Petróleo, o GLP, mais conhecido como gás de cozinha. Os consumidores já vinham reclamando do preço que estavam pagando pela botija, principalmente quem trabalha cozinhando.

Domingos Soares é microempreendedor e conta que cada ajuste é um pesadelo. “Aumentou o arroz, a carne e o ajuste do gás afeta também. A gente trabalha porque é teimoso”, declara.

O novo reajuste em tempos de pandemia trouxe mais preocupação para quem tenta manter o básico em casa. Em junho deste ano, a Petrobrás já tinha anunciado aumento equivalente, que passou a valer em todos estados para a botija de 13kg.

Segundo a Petrobrás o aumento se dá pela valorização do barril de petróleo no mundo. Segundo o órgão, as distribuidoras e revendas serão responsáveis pelos preços ao consumidor final.

De maio a junho desse ano foram três reajustes que acumulou alta de mais de 15%. Com o novo reajuste, o botijão pode ser encontrado por R$ 95, em alguns estabelecimentos, mas com chance de chegar a R$ 100.

 

Eleições 2020: Candidatos têm até domingo para enviar prestação de contas parcial

Começou nesta quarta-feira (21) o prazo para que candidatos e partidos políticos enviem à Justiça Eleitoral a prestação de contas parcial referente às Eleições Municipais 2020. Esta primeira etapa deve enviada por todos os candidatos, independentemente de estarem com o registro deferido ou não, até este domingo (25).

As informações devem ser anexadas no Sistema de Prestação de Contas Eleitorais (SPCE). A ausência da prestação de contas parciais pode repercutir na regularidade das contas finais, assim como na apresentação de contas com movimentações não correspondentes à realidade.

A prestação de contas é um dever de todos os candidatos, inclusive vices e suplentes, e dos diretórios partidários. O candidato que renunciar à candidatura, dela desistir, for substituído, ou tiver seu pedido de registro indeferido pela Justiça Eleitoral deverá prestar contas correspondentes ao período de participação.

Nas primeiras informações deve conter toda a movimentação financeira ou estimável ocorrida do início da campanha até o dia 20 de outubro. Os dados das prestações de contas parciais serão divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 27 de outubro, por meio do sistema DivulgaCandContas.