Carro cai em ribanceira no Anel Viário

Um acidente foi registrado nesta quarta- feira (23) no anel viário, uma caminhonete que descia a avenida acabou caindo em uma ribanceira. A condutora teria perdido o controle do veículo. Ela foi socorrida e levada para atendimento médico. Um guincho particular foi acionado.

Confira a reportagem completa.

 

Noiva leva “bolo” de charrete e ganha indenização

O sonho da atendente Bruna Reis dos Passos, de 21 anos, era chegar ao seu casamento, realizado em 2016, como uma princesa. Mas ele não se concretizou por causa de uma falha de prestação de serviço. A charrete que deveria levar a jovem à cerimônia desapareceu. Agora, quase quatro anos depois, a Justiça mineira decidiu que ela deverá ser indenizada em R$ 10 mil por danos morais.

A decisão da 18ª Câmara Cível foi tomada no último dia 15 e aumentou a quantia da indenização que havia sido fixada em primeira instância.

“Eu não sou realizada de lembrar do meu casamento. Toda vez que lembro do meu casamento, eu choro. Isso para mim até hoje é um buraco que não saiu no meu coração. Eu queria entrar como uma princesa, mas isso não aconteceu”, desabafa ao falar da cerimônia.

Bruna é natural de Belo Horizonte e hoje vive em Esmeraldas, na Grande BH. Ela conta que na época do casamento tinha 17 anos e ainda não trabalhava e, por isso, os custos foram pagos com muito esforço pelo marido, o videomaker Wanderley Gregório Barroso dos Passos, de 30 anos.

De acordo com o processo, o casamento foi agendado para o fim da tarde do dia 22 de outubro de 2016, em um espaço em Betim, na Região Metropolitana. Casar no pôr-do-sol era um sonho de Wanderley. Já para realizar o sonho de Bruna, entre os serviços contratados, estava a charrete, que não apareceu na hora do casamento.

“Deu o horário de o casamento começar, ninguém veio me buscar e fiquei embaixo de chuva esperando e nada de a charrete aparecer. Fiquei desesperada”, conta.

Com isso, a noiva teve de ser levada de carro pelo pai e começaram várias consequências negativas. A cerimônia, que deveria durar das 17h às 20h, atrasou uma hora para começar.

“O celebrante saiu no meio da cerimônia e foi embora porque tinha outro casamento. Teve um convidado que tomou posse da palavra e terminou o casamento”, diz.

Ainda segundo consta na ação, a recepção, que teria duas horas e meia, teve apenas uma hora e meia. Somente 60% dos comes e bebes foram consumidos, e o casal não recebeu qualquer produto ou justificativa por parte da empresa contratada.

Em primeira instância, a Justiça determinou que o casal fosse indenizado em R$ 3 mil. Mas a defesa dos noivos recorreu.

“O recurso foi apresentado porque a gente entendeu que esse valor não supria os danos. Era a realização de um sonho mesmo. Não reparava nem parcialmente a frustração que eles tiveram”, disse a advogada Ionara Gonçalves Leal.

Ao analisar o recurso, o relator do caso, desembargador Sérgio Xavier considerou que o valor, de fato, não era o adequado.

“Nesse contexto, o valor arbitrado para a indenização, em R$3.000,00, encontra-se de fato ínfimo para exercer as funções a que se destina, considerando que nas circunstâncias narradas, restou patente a frustração de um sonho”, disse em seu voto. Ele foi seguido pelos dois outros desembargadores, os magistrados José Eustáquio Pereira e Arnaldo Maciel.

Bruna diz que, apesar de ter ficado muito magoada com o sonho que não foi realizado, agora está feliz com a determinação da Justiça.

“O nosso sonho seria pelo menos fazer uma festa. Eu queria não casar de novo, ter vestido de noiva de novo, não. Mas fazer uma festa, sim”, afirma.

O espaço onde foi realizado o casamento, não se manifestou. No processo, não consta nenhum advogado representante da empresa.

(G1/MG)

 

Mandato de reitor da UFPA termina e universidade aguarda governo federal

A partir desta quarta-feira (23), a Universidade Federal do Pará está sem reitor. O mandato do atual gestor, Emmanuel tourinho, finalizou esta semana e, até o momento, não há definições para o novo reitor.

A instituição aguarda a indicação do governo federal que deverá administrar a maior universidade do norte do país. A expectativa é a de que o Ministério da Educação nomeie um interventor até que seja definido quem ocupará o cargo. A consulta para a escolha da nova gestão aconteceu em agosto deste ano, a votação é feita pela comunidade acadêmica, ao fim tourinho foi o vencedor, com 88,6% dos votos.

De acordo com a assessoria de comunicação da UFPA, a instituição será gerida interinamente pelo professor Gilmar da Silva, que ocupava o cargo de vice-reitor no último mandato. A UFPA também informou que o reitor em exercício ficará no cargo até o dia 10 de outubro.

A partir desse momento, ele deverá deixar o posto. Não há, por enquanto, nenhum substituto para a posição.

Eleições 2020: campanha oficial começa em 27 de setembro

Os pré-candidatos aos cargos de prefeito e vereador poderão realizar propagandas com intenção pedir votos ou divulgar propostas de campanha a partir do dia 27 de setembro.

De acordo com a analista judiciária da Corregedoria Eleitoral do TRE Pará, Nathalie Castro, a partir dessa data os candidatos podem fazer propaganda na internet e também dar início à propaganda de rua, buscando os votos para a sua candidatura.

“É permitido ao candidato fazer propaganda na internet, na rua, com caminhadas, passeatas, carreatas, comício, reunião pública, distribuir material gráfico, adesivos de carro, adesivos paras os residências, distribuição de bandeiras nas ruas. Na internet o candidato poderá pedir expressamente voto, pagar impulsionamento e falar de suas propostas de campanha. Tudo a partir do dia 27”, pontua a analista.

A servidora alerta para a distribuição de brindes não permitida pela legislação eleitoral. “Distribuir brindes como: camisetas, máscaras, bonés, não pode ser feito por nenhum candidato”.

Ela ressalta que a propaganda na internet será o destaquedeste ano. “Para essas eleições de 2020 nós percebemos que a Legislação restringiu a propaganda de rua e ampliou as possibilidades de propaganda eleitoral na internet, como, por exemplo a contratação de impulsionamento dos conteúdos dos candidatos para atingir o maior número de eleitores pela internet”.

Guia Prático

A Corregedoria Eleitoral por iniciativa da vice-presidente do Tribunal Regional Eleitoral e Corregedora, desembargadora Luzia Nádia do Nascimento, elaborou um Guia Prático referente à Propaganda Eleitoral voltada para o público interno e externo. “Esse material é voltado para os nossos clientes para o processo eleitoral, que são os candidatos e, principalmente, aos eleitores que, de posse de um material de fácil compreensão, possam entender o que é certo ou errado em relação à propaganda política, e ter a oportunidade de levar ao conhecimento do juiz eleitoral sobre propagandas eleitorais irregulares”, finaliza.

Rádio e TV

No dia 09 de outubro inicia o período de propaganda obrigatória eleitoral no rádio e na TVe vai até o dia 12 de novembro de 2020 para o primeiro turno das Eleições Municipais 2020, e até o 27 de novembro para o segundo turno.

(TRE/PA)

Covid-19: Altamira, Anapú, Brasil Novo e Pacajá participarão da 3ª fase de pesquisa

Iniciou nesta terça-feira (22), a terceira fase da pesquisa epidemiológica realizada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Saúde (Sespa) e da Universidade do Estado do Pará (Uepa). Mais de 9 mil testes e questionários serão aplicados em 52 municípios paraenses nesta nova etapa, para identificar a predominância e também a velocidade de proliferação da Covid-19 em todo o Estado.

Os bairros do Jurunas, Cremação, Condor, Batista Campos, Marco, Terra firme, Canudos e Telégrafo, na Região Metropolitana de Belém (RMB), foram contemplados no primeiro dia desta nova etapa. A partir de quarta-feira (23), iniciam a pesquisa nas regiões do Marajó Oriental e Baixo Amazonas. Nas demais regiões, a pesquisa iniciará a partir do dia 29 de setembro. A previsão é de que a terceira fase seja concluída no final do mês de outubro.

Segundo o reitor da Uepa, Rubens Cardoso, ao todo, aproximadamente 27 mil pessoas serão testadas e participarão dos questionários. “Esses resultados servem como um indicativo de como a doença evoluiu e foi distribuída no Pará. A Universidade cumpre, por meio deste estudo, um papel de responsabilidade social junto à população”, afirma.

Serão incluídos nesta fase 32 novos municípios paraenses que ainda não participaram da pesquisa, além das 20 cidades mais populosas do Estado, que são investigadas desde a primeira etapa, como Belém, Santarém, Marabá e Castanhal. Ao todo, o estudo envolverá 114 municípios paraenses, o que representa mais de 70% das cidades do Estado.

De acordo com o professor Pedro Vasconcelos, coordenador do Comitê de Biossegurança da Uepa, o resultado, que estima o total da população que apresenta anticorpos da Covid-19, auxilia na tomada de decisões da Sespa e do Governo do Estado, já que traça o perfil de prevalência e infecção do novo Coronavírus (SARS-CoV-2), causador da doença-19, no Pará.

“O resultado das primeiras fases dos estudos comprovam uma estabilidade com tendência de queda, observada em cinco das oito regiões do Estado”, informa o coordenador. Na 1ª fase, foram 8.587 testes realizados e na 2ª fase foram 8.826.

Após o término da terceira etapa, segundo o professor Pedro Vasconcelos, será feita uma avaliação para verificar a necessidade da execução de uma quarta etapa do estudo. “Nesse momento, teremos uma visão ampla do cenário de 2020. Uma outra etapa da pesquisa em janeiro de 2021 pode ser importante para compreender a perspectiva para o próximo ano”, explica.

Profissionais 

São 194 alunos dos cursos de Enfermagem e Medicina da Uepa e oito professores, que atuam como coordenadores de campo, envolvidos na terceira fase. “São estudantes que cursam os últimos semestres na Universidade. Esse projeto é uma possibilidade de aprendizado das habilidades de contato e convívio com a população. Eles são agentes de mudanças e transformação neste momento tão difícil de pandemia”, assegura a professora Lidiane Vasconcelos, coordenadora de campo da pesquisa epidemiológica.

Participante desde a primeira etapa da pesquisa, a aluna Victória Sobral, que cursa o oitavo semestre do curso de Enfermagem da Uepa, já aplicou testes e questionários em Ulianópolis, Barcarena e, nesta terceira etapa, compõe a equipe responsável pela RMB. “Participar deste projeto de extensão é muito significativo. Além de adquirir experiência de campo, acrescenta muito pro nosso currículo. Está sendo incrível. Tomamos todos os cuidados para a segurança do morador e a nossa própria segurança”, garante.

População 

Para o professor e morador do bairro do Telégrafo, Rafael Vitti, um fator importante da pesquisa é que a aplicação dos testes alcança pessoas que muitas vezes não tem condições de pagar por um exame particular, por conta do valor mais elevado.

“É importante ir acompanhando os resultados da pesquisa e manter os cuidados com higiene, utilização de máscaras, evitando aglomerações, porque mesmo que muitas pessoas já apresentem anticorpos da doença, o vírus ainda continua circulando” – Fabíola Damasceno, tecnóloga de alimentos e moradora do bairro do Telégrafo, que participou voluntariamente da pesquisa.

Municípios envolvidos na terceira etapa:

Araguaia
1 – Conceição do Araguaia
2 – Cumaru do Norte
3 – Pau D’arco
4 – Redenção
5 – São Félix do Xingu
6 – Tucumã
7 – Xinguara

Baixo Amazonas
8 – Alenquer
9 – Belterra
10 – Faro
11 – Monte Alegre
12 – Santarém

Carajás
13 – Abel Figueiredo
14 – Curionópolis
15 – Dom Eliseu
16 – Marabá
17 – Parauapebas
18 – Jacundá
19 – Tailândia
20 – Tucuruí

Marajó Ocidental
21 – Bagre
22 – Breves
23 – Curralinho
24 – Portel

Nordeste
25 – Capitão Poço
26 – Castanhal
27 – Garrafão do Norte
28 – Igarapé-Açú
29 – Irituia
30 – Marapanim
31 – Paragominas
32 – Bragança
33 – Capanema
34 – São João de Pirabas
35 – Viseu

Região Metropolitana de Belém
36 – Afuá
37 – Ponta de Pedras
38 – Ananindeua
39 – Belém
40 – Santo Antônio do Tauá
41 – Tomé-Açú
42 – Abaetetuba
43 – Barcarena
44 – Igarapé-Miri

Tapajós
45 – Itaituba
46 – Novo Progresso
47 – Rurópolis
48 – Trairão

Xingu
49 – Altamira
50 – Anapú
51 – Brasil Novo
52 – Pacajá

(Assessoria)

Mulher é pega com drogas; ela estaria levando de Altamira para Marabá

Foi através de uma denúncia anônima que a Polícia Civil de Marabá recebeu a informação de que um passageiro estava transportando armas e drogas em um veículo tipo van que havia saído de Altamira.

Com as informações, a Polícia Civil decidiu montar uma barreira na BR-230, próximo ao Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes. Os policiais abordaram vários veículos durante seis horas, às quatro horas da manhã a polícia encontrou na bolsa de Rafaela Mota da Conceição, conhecida como “Hadassa” 99,5 gramas de uma substância que aparentava ser crack.

A suspeita ainda teria oferecido R$ 3 mil para não ser apresentada na delegacia. Em seguida, foi algemada e encaminhada para a 21ª Seccional Urbana de Marabá, onde foi autuada pelos crimes de tráfico de drogas e corrupção ativa.

Você sabia que hoje é dia do sorvete? Confira uma receita para fazer em casa

Quem resistiria a um soverte delicioso nesse calor amazônico? Uma sobremesa tão refrescante merece ser celebrada. Comemorado no dia 23 de setembro, o sorvete é uma das iguarias preferidas dos brasileiros em dias quentes.

Refrescante e delicioso, a variedade de sabores fica cada vez mais ampla, na região os sabores de frutas típicas foram adaptados para aguçar ainda mais o paladar. Tem de açaí, cupuaçu, murici, buriti, e até de castanha do Pará.

Mas quem pensa que nós brasileiros somos os únicos apreciadores de sorvete se engana. De acordo com um ranking mundial, o Brasil ocupa o 12º lugar entre os países que mais consomem esta sobremesa.

O sorvete surgiu há mais de 4 mil anos na china e a data teria sido criada pela associação brasileira das industrias e do setor de sorvetes com objetivo de promover essa delícia gelada.

E que tal preparar a iguaria em casa? Anota aí uma sugestão:

Sorvete de cupuaçu

Ingredientes:

  • 400 gramas de polpa de cupuaçu fresca ou congelada
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 caixa de creme de leite fresco

Como fazer:

  • Reúna os ingredientes e coloque todos no liquidificador.

Dica: Se você estiver usando polpa de cupuaçu congelada deixe descongelar em temperatura ambiente por uns 15-30 minutos, para que seja mais fácil bater.

  • Bata os ingredientes deste sorvete fácil até ficarem bem misturadinhos.

Dica: Depois de bater os ingredientes se você quiser pode também adicionar raspas de limão, raspas de chocolate, nozes picadas ou algum outro ingrediente para deixar este sorvete mais gostoso!

  • Coloque o creme de cupuaçu num recipiente com tampa e reserve na geladeira por 3-4 horas ou até ficar bem consistente. Está pronto seu sorvete de cupuaçu caseiro! Experimente e conte nos comentários o que você achou.

Dica: Para conseguir um sorvete mais consistente bata no liquidificador a mistura congelada e devolva à geladeira por mais 3-4 horas.

(Tudo Receitas)

Caminhão arrasta fios, deixa poste tombado e bairro sem energia

Após um caminhão arrancar fiações na manhã de terça-feira (22), na rua Otaviano Santos, um poste tombou e deixou parte do bairro Sudam I sem energia.

Os veículos que tentavam passar pela via precisavam retornar devido aos fios que impediam o acesso. Na porta de casa, seu Antônio Pereira aguardava as equipes da empresa realizarem o serviço para o retorno do fornecimento de energia elétrica.

De acordo com dados da Equatorial Energia, somente em Altamira no ano de 2019 mais de 150 acidentes envolvendo postes e automóveis foram registrados. No Pará, do início desse ano até o mês de agosto, mais de 1.800 ocorrências foram atendidas pela empresa, o que representa um aumento de 17% se comparado ao mesmo período de 2019.

Caso haja alguma situação, a população pode ligar para a central de atendimento 0800 091 0196 que fica disponível 24 horas por dia.

 

Câmara aprova alterações no Código de Trânsito; carteira de motorista terá validade maior

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (22) a maior parte das emendas do Senado ao Projeto de Lei (PL) 3.267/2019, do Poder Executivo, que altera o Código de Trânsito Brasileiro. O texto seguirá para sanção do presidente da República.

Entre as principais medidas, a proposta aumenta a validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para dez anos e vincula a suspensão do direito de dirigir por pontos à gravidade da infração.

De acordo com o texto, a CNH terá validade de dez anos para condutores com até 50 anos de idade. O prazo atual, de cinco anos, continua para aqueles com idade igual ou superior a 50 anos.

Já a renovação a cada três anos, atualmente exigida para aqueles com 65 anos ou mais, passa a valer apenas para os motoristas com 70 anos de idade ou mais.

Profissionais que exercem atividade remunerada em veículo (motoristas de ônibus ou caminhão, taxistas ou condutores por aplicativo, por exemplo) seguem a regra geral.

Emendas do Senado

A Câmara aprovou 8 das 12 emendas do Senado ao texto do relator, deputado Juscelino Filho (DEM-MA), como a que proíbe converter pena de reclusão por penas alternativas no caso de morte ou lesão corporal provocada por motorista bêbado ou sob efeito de drogas.

“Algumas emendas do Senado promovem reparos na versão aprovada nesta Casa”, disse Juscelino Filho. “A proibição da troca de pena privativa de liberdade por penas alternativas melhora e muito o texto”, concordou o deputado Hildo Rocha (MDB-MA).

“O tema é importante para o país, mas lamento que seja tratado no meio de uma pandemia. É fundamental aperfeiçoar a legislação de trânsito porque, a cada cinco horas, perdemos um compatriota num acidente de trânsito”, disse o deputado Reginaldo Lopes (PT-MG).

Como o homicídio de trânsito é culposo, o Código Penal pode ser interpretado favoravelmente ao motorista porque permite a conversão da pena de qualquer tamanho no caso de crime culposo.

O Código Penal impõe pena de reclusão de 5 a 8 anos para o homicídio culposo ao volante praticado por motorista embriagado ou sob efeito de drogas e pena de reclusão de 2 a 5 anos no caso de lesão corporal grave ou gravíssima. As penas alternativas podem envolver, por exemplo, o cumprimento de serviços comunitários.

Mantida a integralidade do texto aprovado pelo Congresso, todas as mudanças feitas pelo projeto valerão depois de 180 dias da publicação da futura lei.

Bebida alcoólica

O parecer do relator recomendou a rejeição de quatro alterações feitas pelos senadores. Uma delas tornava infração grave punida com multa o ato de transportar ou manter embalagem não lacrada de bebida alcoólica no veículo em movimento, exceto no porta-malas ou no bagageiro.

Para Juscelino Filho, o texto deveria trazer exceção para os veículos de transporte turístico. Ele lembrou que a bebida aberta pode ainda estar sendo consumida pelo passageiro e não pelo motorista.

O relator pediu a rejeição de emenda que condicionava o condutor a escolher entre a CNH em meio físico ou digital, impossibilitando a escolha das duas formas ao mesmo tempo ou uma ou outra separadamente, como defende a Câmara.

Capacetes

A terceira emenda com parecer contrário especificava que a multa gravíssima aplicável a motociclistas seria por falta de uso de capacete “e” roupa de proteção segundo as normas do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Juscelino Filho explicou que o conectivo “ou”, como está na redação aprovada pelos deputados, é que atende às preocupações dos senadores, ao permitir a aplicação da multa pela falta de um equipamento ou outro de segurança, em vez de condicionar a multa à falta de ambos.

Outro ponto com parecer contrário foi a emenda que permitia aos médicos com curso de capacitação para essa atividade continuarem atendendo em clínicas mesmo sem a especialização exigida pelo projeto.

Cadeirinha

Quanto ao uso da cadeirinha, o Senado propôs que o equipamento, que pode ser um assento de elevação (booster) ou uma cadeira especial presa ao assento, deverá ser adequado ao peso e à altura da criança.

Juscelino Filho já havia acrescentado o limite de altura de 1,45 metro à idade de dez anos para a qual é feita a exigência de permanecer no banco traseiro.

A obrigatoriedade da cadeirinha, hoje prevista em resolução do Contran, será incorporada ao Código de Trânsito, e a multa continua gravíssima. No texto original, o Poder Executivo propôs o fim da penalidade.

Advertência

Uma das emendas aprovadas condiciona a substituição obrigatória de multas leves ou médias por advertência ao fato de o infrator não ter cometido nenhuma outra infração nos últimos 12 meses.

Na redação da Câmara, a advertência não seria aplicada somente se o infrator fosse reincidente no mesmo tipo de infração cometida nos 12 meses anteriores, abrindo o leque de situações nas quais a advertência seria aplicada.

Hoje, a conversão de multa em advertência fica a critério da autoridade de trânsito. Entretanto, o substitutivo aprovado retira do código a possibilidade de essa advertência ser aplicada também ao pedestre.]

Farol em rodovias

A infração de dirigir sem faróis acesos em rodovias, tornada restrita pelo texto da Câmara apenas às rodovias simples, passa a existir apenas para aquelas fora do perímetro urbano, segundo emenda do Senado.

Brasília seria uma das cidades visadas com a mudança, pois possui várias vias classificadas de rodovias em perímetro urbano.

Pontuação

Quanto à pontuação a partir da qual a pessoa tem o direito de dirigir suspenso, o texto de Juscelino Filho estabelece uma gradação de 20, 30 ou 40 pontos em 12 meses conforme haja infrações gravíssimas ou não.

Atualmente, a suspensão ocorre com 20 pontos, independentemente de haver esse tipo de infração.

Com a nova regra, o condutor será suspenso com 20 pontos se tiver cometido duas ou mais infrações gravíssimas; com 30 pontos se tiver uma infração gravíssima; e com 40 pontos se não tiver cometido infração gravíssima nos 12 meses anteriores.

Para o condutor que exerce atividade remunerada, a suspensão será com 40 pontos, independentemente da natureza das infrações. Isso valerá para motoristas de ônibus ou caminhões, mas também para taxistas, motoristas de aplicativo ou mototaxistas.

Entretanto, se o condutor remunerado quiser participar de curso preventivo de reciclagem quando, em 12 meses, atingir 30 pontos, toda a pontuação será zerada. Atualmente, essa possibilidade existe para aqueles com carteiras do tipo C, D ou E se acumulados 14 pontos.

Exame toxicológico

Juscelino Filho manteve a exigência de condutores com carteiras das categorias C, D e E fazerem exame toxicológico na obtenção ou renovação da CNH e a cada dois anos e meio.

Para adaptar os prazos em razão das validades diferenciadas da carteira, somente os motoristas com menos de 70 anos precisarão fazer novo exame depois de dois anos e meio da renovação.

Atualmente, quem tem 65 anos ou mais precisa repetir o exame depois de um ano e meio, periodicidade que passa a ser exigida para aqueles com 70 anos ou mais.

O relator incluiu no código uma multa de cinco vezes o valor padrão, pontuação de infração gravíssima, penalidade de suspensão do direito de dirigir por três meses e necessidade de apresentar exame com resultado negativo para acabar com a suspensão.

A multa será aplicada se o infrator for pego conduzindo veículo das categorias C, D ou E e também para aquele que exerce atividade remunerada com esse tipo de veículo e não comprovar a realização do exame toxicológico periódico quando da renovação da CNH.

Proibições

Atualmente, para que uma pessoa possa habilitar-se nas categorias D ou E, ou ser condutora de transporte escolar, ônibus, ambulância ou transportar produto perigoso, o Código de Trânsito exige que não tenha cometido infração grave ou gravíssima ou não seja reincidente em infrações médias durante os últimos 12 meses.

Pelo texto aprovado, será exigido do profissional que ele não tenha cometido mais de uma infração gravíssima nesse período.

Retenção de CNH

Na penalidade por dirigir com velocidade 50% superior à permitida na via, o deputado Juscelino Filho retirou a apreensão da CNH e a suspensão imediata do direito de dirigir. Esta suspensão passará a depender de processo administrativo.

No dia 29 de maio, o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou constitucionais esses procedimentos incluídos no código pela Lei 11.334/06 e questionados em ação do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil.

(Agência Senado)

O álcool e a COVID-19: o que você precisa saber

Você sabia que o consumo de bebidas alcoólicas, especialmente de forma abusiva, enfraquece o sistema imunológico e deixa o corpo mais vulnerável diante de infecções?

Confira na reportagem o que dizem os especialistas.