Depois de denúncia, lotérica de Pacajá tem equipamento trocado

Foram seis meses de espera, mas segundo os moradores de Pacajá, agora o problema foi resolvido.
Após receber várias denúncias da população reclamando da situação da agência local, a Vale do Xingu mostrou o caso nos telejornais do SBT em Altamira. A notícia repercutiu, viralizou na internet e a Caixa Econômica Federal realizou a troca do equipamento que estava quebrado há mais de seis meses.

A situação estava tão complicada, que os moradores fizeram um apelo afirmando não suportar mais tanta espera. Com a notícia os moradores agradecem e relatam que agora, os três caixas estão funcionando.

Entenda o caso

O município, com quase 47 mil habitantes, conta apenas com uma casa lotérica onde são realizados pagamentos de benefícios sociais, aposentadorias, além das apostas. O prédio tem três caixas, mas um deles estava quebrado e precisando de manutenção há mais de seis meses.

O problema se agravava porque apenas a casa lotérica faz os pagamentos dos programas sociais e, além dos moradores da cidade, os agricultores também buscam a agência. Sem ter a quem recorrer, os moradores ficavam do lado de fora do prédio em pé, faça chuva ou faça sol, esperando a hora para serem atendidos.

A responsável pela casa lotérica havia informado que pediu a substituição dos equipamentos, mas nada havia sido feito.

Leia mais:

Filas irritam usuários de lotérica em Pacajá

Caixa anuncia nova data para saque de R$ 998,00 do FGTS

Em live no Facebook do presidente Jair Bolsonaro na quinta-feira, 12, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, anunciou nova data para o saque do FGTS. A partir do dia 20 de dezembro a população poderá sacar o fundo de garantia no novo valor de R$ 998,00, antes de R$ 500.

“A Caixa irá realizar pagamento do fundo de garantia de R$ 998,00 a partir do dia 20 de dezembro para 10 milhões de brasileiros com total de R$ 2,6 bilhões”, afirmou Guimarães. O presidente do banco público destacou ainda que a Caixa “nunca esteve tão forte do ponto de vista de marketing”.

Em resposta ao presidente Bolsonaro, Guimarães comentou ainda que, se a taxa Selic seguir em queda, os juros cobrados na modalidade de cheque especial para quem tem conta salário no banco podem recuar ainda mais dos 4,9% ao mês.

(Bandab)

 

Concursos estão com 1.558 vagas abertas em todo o Estado

O ano de 2019 ainda não acabou e há centenas de oportunidades para quem deseja alcançar a tão sonhada instabilidade profissional e financeira, através do ingresso no serviço público. Por todo país, há chances em diversos órgãos, que vão desde universidades, passando por prefeituras, secretarias e autarquias. Somente no Pará, são 1558 vagas abertas para todos os níveis de escolaridade, com salários que vão de R$ 998,00 até R$ 12.455,30.

A Universidade Federal do Pará está com 19 vagas em oito certames. Mas é preciso estar atento aos prazos de inscrição. Os certames são isolados, portanto, os prazos de inscrição e os valores podem várias conforme o concurso e a necessidade da instituição.

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) também anunciou concurso público para o preenchimento de três vagas, sendo duas para nível médio, com salário inicial de R$ 7.591,37 para técnico judiciário, e uma vaga para Analista Judiciário, com vencimento a partir de R$ 12.455,30. Ps valor das inscrições são de, respectivamente, R$ 50,00 e R$ 70,00 para nível médio e superior. As inscrições podem ser feitas até esta terça-feira (17), através do site.

Municípios

Há centenas de vagas, ainda, para os municípios de Marabá, Floresta do Araguaia, Anapu, Terra Santa e Itaituba, com vencimentos a partir de R$ 998,00 para nível fundamental, até R$ 4092,66, nos cargos de nível superior. Confira.

 

Homem é esfaqueado no bairro Brasília

O homem foi encontrado deitado no meio da avenida João Coelho, com a Joaquim Acácio.  O Corpo de Bombeiros foi acionado e prestou os primeiros socorros a vítima que estava com várias perfurações.

A vítima não foi identificada, pois estava sem documentos pessoais. Segundo informações da Polícia Militar, vítima e suspeito seriam conhecidos e teriam sido vistos por populares na mesma noite, antes do crime, bebendo em um bar.

O possível autor do crime foi identificado apenas pelo apelido de “neguinho”, e estaria em uma moto. A vítima teve duas perfurações embaixo da axila, cortes profundos em um dos braços e teve o punho direito quase decepado. A polícia fez buscas pelo suspeito que até o momento não foi localizado.

Os Bombeiros encaminharam a vítima para o Hospital Regional Público da Transamazônica, mas devido a gravidade dos ferimentos não resistiu. O fato foi registrado por volta das duas da madrugada de sábado (14). Na delegacia, até o desfecho da matéria, nenhum boletim de ocorrência foi registrado sobre o caso.

 

Jovem é executado no centro de Altamira

Por volta das 2h de sábado (14), um jovem foi assassinado com vários tiros na avenida Tancredo Neves . Outra pessoa que estava no local foi atingida no pé.

Victor Raniely da Costa Lima, foi morto com vários tiros a queima roupa, a maior parte dos disparos atingiram a cabeça do jovem que morreu na hora. O crime aconteceu na calçada na presença de muitas pessoas que bebiam em frente a uma distribuidora.

Segundo testemunhas, a vítima estava correndo, como se já estivesse sendo perseguida, e em certo ponto acabou sendo alcançada pelos criminosos, que dispararam várias vezes. Os tiros deixaram marcas nos portões de algumas lojas. Segundo informações, depois de atingir o jovem os criminosos teriam disparado em direção às pessoas que se encontravam no local.

O clima era de medo porque, segundo testemunhas, após o homicídio, os criminosos que estavam em uma moto efetuaram disparos para o alto.

A motivação do crime ainda é desconhecida. Mas, segundo populares o jovem teria tido uma discussão em um bar.

 

Como bloquear seu WhatsApp em caso de perda ou roubo do celular

Ter um celular roubado pode trazer muitas dores de cabeça e imaginar alguém com acesso ao seu WhatsApp é uma delas. Porém, nesse caso, existem formas bem simples de bloquear a sua conta e o próprio aplicativo ensina a fazer isso.

O primeiro passo é bloquear o chip. Com o bloqueio, o invasor não consegue verificar a conta, já que é necessário receber um SMS ou ligação para isso. Depois, é possível pedir um novo chip com o mesmo número para ativar o WhatsApp no aparelho novo. Esta é a maneira mais simples de desativar a conta em um celular perdido, já que só é possível ficar ativo com um número de telefone em um aparelho.

Porém, até cadastrar o número no novo smartphone, ainda é possível utilizar o aplicativo por wi-fi mesmo com o chip bloqueado. Para evitar que isso aconteça, é preciso mandar um e-mail para “support@whatsapp.com” com a frase “Perdido/Roubado: Por favor, desative minha conta” no corpo da mensagem. Também é necessário colocar o número do telefone no formato internacional completo. Aquele com o “+55” na frente.

Quando uma conta é desativada ela não é completamente apagada durante 30 dias. Nesse período, os contatos ainda conseguem ver o perfil e enviar mensagens para o número. As conversas ficam pendentes e, caso a conta seja reativada dentro desse período, todas as mensagens serão recebidas. Isso inclui os grupos dos quais o usuário faz parte. Depois desses 30 dias, se a conta não for reativada, ela será completamente apagada.

(Olhar Digital)

Receita deposita nesta segunda-feira a restituição do 7º lote do IRPF

O crédito bancário do sétimo lote de restituição do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (IRPF) 2019 está disponível nas contas dos contribuintes a partir de hoje (16). O lote contempla também restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2018.

Ao todo 320.606 contribuintes têm direito ao crédito, totalizando R$ 700 milhões, dos quais R$ 172.952.366,78 são preferenciais: 3.308 idosos acima de 80 anos, 21.410 com idade entre 60 e 79 anos, 3.172 com alguma deficiência física ou mental ou doença grave e 9.789 cuja maior fonte de renda seja o magistério.

Para saber se teve a declaração liberada, basta acessar a página da Receita na internet, ou ligar para o Receitafone 146. Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível buscar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento. Nessa hipótese, o contribuinte pode avaliar as inconsistências e fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora.

A Receita disponibiliza ainda aplicativo para tablets e smartphones, o que facilita consulta às declarações do IRPF e situação cadastral no CPF. Com ele será possível consultar diretamente nas bases da Receita Federal informações sobre liberação das restituições do IRPF e a situação cadastral de uma inscrição no CPF.

A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá fazer requerimento por meio da internet, mediante o Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF – Declaração do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contatar pessoalmente qualquer agência do BB ou ligar para a Central de Atendimento por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

(AgênciaBrasil)

WhatsApp é a principal fonte de informação do brasileiro, aponta pesquisa

De acordo com uma pesquisa feita pela Câmara dos Deputados e pelo Senado Federal, com 2.400 brasileiros, o WhatsApp é o meio de comunicação mais utilizado pelos entrevistados: 79% deles responderam que utilizam sempre a rede social e 14% o utilizam às vezes.

Na sequência, apareceram os canais de televisão (50%), a plataforma de vídeos Youtube (49%), o Facebook (44%), sites de notícias (38%), a rede social Instagram (30%) e emissoras de rádio (22%). O jornal impresso também foi citado por 8% dos participantes da sondagem e o Twitter, por 7%.

O levantamento aponta também que o público mais jovem tem utilizado menos a televisão e mais as mídias digitais, como YouTube e Instagram.

Além disso, de cada 10 brasileiros, 8 já identificaram fake news nas redes sociais e 82% afirmou verificar se uma informação é verdadeira antes de compartilhá-la. Esse percentual de pessoas que verificam as informações é crescente conforme aumenta o grau de escolaridade dos entrevistados.

Os resultados da pesquisa indicam também que praticamente a metade dos brasileiros acha difícil identificar notícias falsas em redes sociais. Os veículos de comunicação como televisão e jornais possuem maior credibilidade do que as informações de redes sociais para a grande maioria dos cidadãos, porém brasileiros de menor escolaridade se dividem nessa percepção.

A pesquisa também avaliou os hábitos dos entrevistados nas redes sociais. O tipo de ação mais comum foi a curtida de publicações, ato realizado sempre por 41% dos participantes da sondagem. Em seguida, vieram compartilhamento de posts (20%), publicar conteúdos (19%) e comentar mensagens de outros (15%).

Segundo os autores da pesquisa, o nível de confiança é de 95%, com margem de erro de dois para mais ou para menos.

(Agencia do Radio)

Pará é ouro em Olimpíada de Português

A história de vida de uma mulher amazônica se assemelha ao percurso de um rio, com momentos de calmarias e outros de muita correnteza. Foi a partir dessa comparação que o estudante de 13 anos, Victor Menezes, que concluiu o 7º ano do ensino fundamental do Colégio Militar de Belém, escreveu um dos textos vencedores da 6ª edição das Olimpíadas de Língua Portuguesa, na categoria Memórias Literárias, com o tema: O lugar onde vivo. O Pará também saiu vencedor na categoria Poema com a aluna Mayra Silva, da Escola Municipal Daniel Berg, do município de Vitória do Xingu, no sudoeste do Estado.

Os nomes dos vencedores foram anunciados no início desta semana, em uma cerimônia na Sala São Paulo, em São Paulo (SP). Ao todo, 28 alunos e seus professores foram reconhecidos. Victor recebeu com alegria, mas também com surpresa o resultado. “Muitas pessoas capacitadas participaram e estavam aptas para ganhar, apesar de eu confiar bastante no trabalho feito pelo professor, o capitão Paulo Reinaldo Barbosa. Por isso, também estava confiante”, contou.

O caminho para chegar até a premiação foi longo. Começou em março deste ano com oficinas semanais para a preparação, que estão previstas no cronograma das Olimpíadas. “Elas aconteciam no contraturno escolar e seguiram até o mês de agosto, com materiais disponibilizados no próprio site do concurso. Nessa categoria Memórias Literárias contamos com seis estudantes”, explica o professor de Língua Portuguesa e Espanhol, capitão Paulo Reinaldo Barbosa, que também foi premiado com medalha de ouro.

A partir daí, seguiram-se um total de cinco etapas: a escolar (onde estudantes da instituição de ensino participaram de uma seleção para representar o colégio na competição), a municipal, a estadual, a regional até chegar a grande final.

Para o professor, gostar de ler e escrever está entre os pré-requisitos essenciais para se participar de uma competição nacional como essa. “Não necessariamente o estudante precisa escrever bem. Mas é fundamental que tenha boas ideias e seja criativo. A norma culta é sim importante, mas não essencial, porque ela pode ser trabalhada”, ressalta o capitão.

No caso de Victor, o texto começou a ser inscrito a partir de uma entrevista de dois dias feitas com a avó de uma aluna do colégio chamada Rosa. “Ela contou para a gente a história da vida dela, que nasceu em uma cidade no interior do Amazonas, próximo ao Rio Solimões e aos oito anos foi adotada por uma família para que pudesse estudar. Mas ao invés disso, acabou sendo explorada e obrigada a trabalhar tomando conta de outra criança e sendo forçada a fazer serviços domésticos”, conta o garoto.

Tendo como ponto de partida a história de dona Rosa, Victor escreveu um texto de pouco mais de 4 mil caracteres, conforme a norma do concurso, em primeira pessoa, que foi sendo aprimorado ao longo das etapas. “Comparei a vida dela, que foi muito difícil e de superação, com muitas privações, ao curso de um rio, que é uma coisa bem típica da nossa região, de forma mais poética”, detalhou.

O professor também fez questão de destacar a importância do incentivo da escola para o resultado positivo obtido no concurso. “É um colégio que tem como foco o aluno. Tudo aqui é pensando para eles”, destaca Reinaldo.

COLÉGIO MILITAR

Atualmente estudam no Colégio Militar de Belém 357 alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental. No próximo ano, será introduzido o 1º ano do ensino médio.

O concurso recebeu um total de 171.037 inscrições de todas as unidades da federação e teve adesão de 87,5% dos municípios brasileiros – total de 4.876 cidades.

OLIMPÍADA

A Olimpíada de Língua Portuguesa é realizada pelo Ministério da Educação (MEC) e Itaú Social. O objetivo é apoiar os professores da rede pública no aprimoramento das práticas de ensino de leitura e escrita.

A Olimpíada ocorre a cada dois anos. A premiação inclui imersão pedagógica internacional para os professores e viagem cultural em território brasileiro para os estudantes. As escolas dos alunos vencedores receberão como prêmio acervo para reforço da biblioteca. Além disso, os textos vencedores são publicados no livro “O lugar onde vivo”.

PARA ENTENDER

OLIMPÍADAS DE LÍNGUA PORTUGUESA 2019

4.876 municípios participantes.

42.086 escolas inscritas.

85.908 professores inscritos.

171.037 inscrições nas categorias.

VENCEDORES DO PARÁ

– Categoria Poema

Aluna: Mayra Lourrana de Souza Silva

Professor: Edio Wilson Soares da Silva

Escola Municipal Daniel Berg – Vitória do Xingu – PA

– Categoria Memórias Literárias

Aluno: Victor Augusto de Alencar Menezes

Professor: Paulo Reinaldo Almeida Barbosa

Colégio Militar de Belém – Belém – PA

Terra indígena mais desmatada tem 94% de área declarada por grileiros no PA

A Terra Indígena Ituna-Itatá, área protegida por lei no Pará, teve 94% do território autodeclarado por produtores a partir de Cadastros Ambientais Rurais (CAR), segundo levantamento do Greenpeace. Para a organização ambiental, os mais de 200 registros mostram que o território estaria sendo ocupado por grileiros que se autodenominam donos de cada pedaço de terra.

“A expectativa deles com o cadastro ambiental é poder desmatar, colocar pasto e criar a possibilidade do governo criar algum mecanismo para regularizar essa área. Assim, eles querem pegar um patrimônio que é público para si”, explicou a coordenadora da campanha Amazônia Greenpeace, Cristiane Mazzetti.

Com a medida provisória da regularização fundiária, que entrou em vigor na última quarta (11), o CAR é um dos documentos exigidos pelo governo federal para que o suposto proprietário tente regularizar a ocupação da terra. A medida ainda precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional para se tornar lei.

Entenda as mudanças

O CAR é feito de forma autodeclaratória para registro de informações ambientais de imóvel rural e depende de validação de órgão fiscalizador, também não é documento de reconhecimento de propriedade ou posse.

Com a medida provisória da regularização fundiária, que entrou em vigor na última quarta (11), o CAR é um dos documentos exigidos pelo governo federal para que o suposto proprietário tente regularizar a ocupação da terra. A medida ainda precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional para se tornar lei.

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a TI Ituna-Itatá é a terra indígena mais desmatada da Amazônia em 2019. Foram 119km² devastados, entre agosto de 2018 a julho deste ano – número dez vezes maior que o período anterior, segundo dados do monitoramento mais recente do sistema PRODE.

A Polícia Federal identificou, em setembro, áreas de desmatamento e grilagem. Em outubro, uma equipe do Greenpeace sobrevoou a TI Ituna-Itatá e encontrou estradas de terra cortando a floresta; derrubadas que abriram clareiras na mata e grandes áreas de rebanhos, o que é proibido por lei.

Portaria proíbe exploração da área indígena

Segundo a Fundação Nacional do Índio (Funai), a TI Ituna-Itatá está interditada desde 2011 para a realização de estudos sobre a existência de indígenas isolados que vivem na região. Uma portaria publicada no Diário Oficial da União estabelece restrição de ingresso e permanência de pessoas estranhas aos quadros da Funai e, também, proíbe a exploração de qualquer recurso natural em área de 142 mil hectares – que ainda não foi demarcada.

Devastação dá lugar à pecuária e extração ilegal

Segundo os ambientalistas, a pecuária é a uma das atividades que mais avançam sobre as florestas da TI Ituna-Itatá. Entre 2017 e 2018, a área indígena ocupada por pastagens aumentou de 550 hectares para 1990 hectares, segundo imagens da plataforma MapBiomas, projeto criado por ONGs, universidades e empresas de tecnologia.

A região também é alvo de garimpeiros e madeireiros. Em agosto, equipes do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) e da Polícia Federal destruíram uma serraria clandestina, três acampamentos de extração de madeira e equipamentos utilizados na retirada de minérios. No fim da operação, os agentes foram alvo de disparos de arma de fogo.

“É fundamental e urgente que o governo implemente uma força-tarefa para tirar todo e qualquer grileiro dessas terras protegidas, que deveriam estar completamente isoladas”, afirmou Cristiane Mazzetti.

A reportagem procurou a Funai e o Ministério do Meio Ambiente, mas não recebeu resposta.

(G1)

 

 

error: Conteúdo Protegido por [ConfirmaNoticia.com.br]