Cerimônia apresenta a “bike patrulhamento” da PM

A população de Altamira vai poder contar, a partir de agora, com uma nova modalidade implantada pela polícia militar do Pará. O policiamento operacional de bike patrulhamento.

Leia também:

Representantes do Xingu participam de festival de receitas em São Paulo

Vídeo mostra policiais atirando balas de borracha contra trabalhadores sem-terra no PA

Durante a cerimônia, policiais foram homenageados com menção de honra por participarem de episódios onde eles atuaram em dois mil e dezenove. Outros PMs entraram para reserva.

São quatro bicicletas e nove policiais que vão revezar nas rondas, mas antes deles irem pra rua, passaram por treinamento.

 

 

Representantes do Xingu participam de festival de receitas em São Paulo

Com o objetivo de valorizar a cadeia de produção dos povos indígenas, comunidades extrativistas e quilombolas, oito restaurantes se reúnem no Festival pelos Povos da Floresta.

A partir deste sábado (7) e até o dia 15, os endereços participantes preparam receitas com ingredientes de comunidades do Vale do Ribeira (SP), Xingu (MT e PA) e Rio Negro (AM e RR). A iniciativa é do Instituto Socioambiental (ISA) e da rede Origens Brasil.

Integram a programação casas como Balaio, Banzeiro, Dalva e Dito, Jojo Lab, Rainha (pê-efe do Mercado Municipal de Pinheiros) e Tordesilhas, além da confeitaria Marilia Zylbersztajn e da padaria e delicatessen Delí Garage —casa um com uma receita própria.

O Rainha, no Mercado de Pinheiros, por exemplo, oferece um pê-efe com farinha de mandioca orgânica do quilombo Porto Velho, no Vale do Ribeira (SP) puxada com óleo de pequi do povo kisêdjê, do Xingu, para acompanhar o filé de tilápia com crosta de pó de cogumelo ianomâmi, banana grelhada e arroz branco (R$ 40).

Como parte do evento, no próximo sábado (14), o Mercado de Pinheiros irá apresentar todos os produtos usados no festival, com destaque para o lançamento do chocolate ianomâmi, produzido com cacau nativo da terra indígena ianomâmi.

 

(Guia Folha)

Vídeo mostra policiais atirando balas de borracha contra trabalhadores sem-terra no PA

Um vídeo que circula nas redes sociais nesta terça (3) mostra policiais da Patrulha Rural do 23º Batalhão da PM atirando balas de borracha contra um grupo de trabalhadores rurais na Fazenda Surubim, em Eldorado dos Carajás, no sudeste do Pará. Dois homens foram atingidos.

As imagens exibem o grupo andando pela mata na última segunda-feira, quando é abordado por três policiais fortemente armados, que pedem para eles colocarem as mãos na cabeça. “Não somos ladrões, somos trabalhadores”, diz um dos camponeses. Os policiais então começam a atirar.

A promotoria de Justiça Militar acompanha o caso, junto com a Corregedoria da PM, e informou que, se houver necessidade, será decretada a prisão dos policiais, devido à gravidade do fato.

PM alega que houve resistência à revista

Em nota, a PM informou que os militares foram acionados para uma ocorrência sobre furto e abate ilegal de gado na propriedade, quando se depararam com o grupo que havia retirado castanhas da fazenda. Segundo a PM, eles estavam armados com facões.

Ainda de acordo com a Polícia, foi dada a ordem de parada para abordagem pessoal para revista, mas houve resistência, o que teria causado a necessidade dos disparos.

A PM informou que a ação será apurada por meio de procedimento administrativo, instaurado pelo Comando de Policiamento Regional II, com sede em Marabá, e também que o caso foi registrado na Delegacia de Polícia Civil de Eldorado dos Carajás, onde foi realizado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

Segundo a Comissão Pastoral da Terra (CPT), os trabalhadores registraram o fato na Delegacia Especializada de Conflitos Agrários (Deca) e não havia mandado judicial para a abordagem.

Ainda segundo a CPT, o grupo atravessava a área da Fazenda Surubim, voltando da coleta de castanhas em direção a um acampamento às margens da rodovia entre Xinguara e Eldorado dos Carajás, próximo à vila “Gogó da Onça”.

Violência policial no campo

A história do município de Eldorado dos Carajás é marcada pela violência no campo. Um dos casos foi o Massacre em Eldorado, que resultou na morte de 19 trabalhadores sem-terra, assassinados durante um confronto com a PM, no dia 17 de abril de 1995.

Centenas de camponeses estavam acampados próximo à fazenda Macaxeira, quando policiais, armados com fuzis e sem identificação nas fardas, chegaram para cumprir ordem de desocupar a área, porque os trabalhadores estariam obstruindo a rodovia.

Os 155 policiais militares que participaram da operação foram indiciados por homicídio e também foram levados a júri popular.

(G1/PA)

Associação dos Grupos Folclóricos de Altamira pede reconhecimento como patrimônio cultural

O gingado, as cores e o ritmo fazem qualquer pessoa ficar encantada. O carimbó, marcado pelos altamirenses nas apresentações deixam qualquer ocasião mais bonita e animada. O evento conhecido como Festival Folclórico de Altamira, acontece há 17 anos no município e em cada apresentação o público pára para ver os dançarinos.

Recentemente nove grupos se apresentaram na décima sétima edição: Tradição Aparecida, Cheiro do Pará, Explosão Bela Vista, Cisne Branco, Flor da Juventude, Rosa dos Ventos e Beija-Flor.

Leia mais:

Região do Xingu tem saldo positivo no número de novos postos de trabalho

Polícia fecha pontos de prostituição em Vitória do Xingu

Este ano o evento aconteceu no anel viário, apesar de alguns contratempos, os dançarinos não deixaram de brilhar no evento. A cada ano, os grupos tentam inovar nos temas que fazem referência a diversidade cultural do Pará. A crença, o esporte, a música, a fé, aos ritmos, e a natureza. São meses de ensaios, confecções de roupas e acessórios. Uma mistura de cores e movimentos que tornam o evento especial.

Na sessão da última terça-feira, a Associação dos Grupos Folclóricos de Altamira – AGFAL,  encaminhou um ofício à Câmara Municipal solicitando que os vereadores reconheçam o festival folclórico como patrimônio material e imaterial do município.

Segundo o documento, pediu o reconhecimento do carimbó como ritmo predominante dos altamirenses e região do Xingu. O documento foi lido pela mesa diretora durante a sessão.

Os vereadores agora terão que criar um projeto de lei para que o evento seja reconhecido. A aprovação deve sair no início do ano de 2020, já que a câmara terá somente mais uma sessão.

 

Região do Xingu tem saldo positivo no número de novos postos de trabalho

As micro e pequenas empresas foram responsáveis por gerar mais de 73 mil novos postos de trabalho em todo o país somente no mês de outubro, segundo um levantamento feito pelo Sebrae. De janeiro a outubro foram abertas 752 mil novas vagas em todo o Brasil.

De acordo com o Sebrae, os pequenos negócios foram o único segmento a gerar novos empregos com carteira assinada. Na região Xingu os setores que mais geraram empregos foram o da construção civil, agropecuária, serviços e comércio.

Os municípios que mais admitiram funcionários foram: Brasil Novo com 45 pessoas contratadas e Altamira com 40 novas vagas geradas, seguido do município de Pacajá com 29. Ao todo na região foram 114 novos postos de serviço.

O Sebrae em Altamira vem orientando aos empreendedores a como agirem na manutenção das micro e pequenas empresas.

 

PRF promove ação de saúde para os motoristas

Francisco Fernandes é caminhoneiro e roda pelas estradas do Brasil todos os dias. Por isso, falta tempo para procurar um médico e cuidar da saúde. Mas, foi aqui em Altamira que ele foi abordado para fazer uma parada obrigatória da saúde.

O projeto que Francisco fala é da Polícia Rodoviária Federal, que aborda o caminhoneiro às margens da rodovia BR 230 e faz orientações aos caminhoneiros.

O comando de saúde tem como objetivo alertar os motoristas profissionais sobre os cuidados com a saúde. A ação, planejada pela PRF, conta com a parceria da universidade do estado do Pará e Secretaria Municipal de Saúde de Altamira.

Os caminhoneiros tiveram acessos a exames rápidos como aferição da pressão, vacinas. Verificaram também como está a visão, um dos motivos para acidentes nas rodovias. Todos oferecidos pela UEPA.

 

Eleitores com 70 anos devem fazer biometria

O eleitor com mais de 70 anos de idade também deve participar da coleta de dados biométricos, realizada pela Justiça Eleitoral. Foi isso que o Tribunal Superior Eleitoral decidiu essa semana.

A constituição federal determina que o eleitor com 70 anos ou mais pode optar por não votar, ou seja, o voto é facultativo, e apesar de não comparecer às seções eleitorais em dia de votação, ele não sofrerá nenhuma penalidade por isso.

Apesar disso, o TSE decidiu que os eleitores maiores de 16 anos e menores de 1, além dos eleitores maiores de 70 anos e os  analfabetos, deverão comparecer aos cartórios para realizar o cadastramento biométrico.

O tribunal informou que as inscrições de eleitores com deficiências que impossibilite o cumprimento das obrigações eleitorais ainda não serão cancelados, mas é preciso informar o motivo dessas limitações para o cartório e atualizar o cadastro junto a justiça eleitoral.

Segundo o TSE, até o início de setembro 72% dos eleitores brasileiros já tinham realizado a biometria. O prazo estipulado pelo tribunal é 2022, mas em alguns municípios a biometria tem que ser feita antes disso, como é o caso do estado do Pará, onde o cadastramento biométrico encerrou antes do prazo previsto pelo TSE.

 

Polícia fecha pontos de prostituição em Vitória do Xingu

A Polícia Civil, em Vitória do Xingu, prendeu duas mulheres na terça-feira (3), acusadas da prática de rufianismo, modalidade que objetiva o lucro através da exploração de prostituição.

Segundo a polícia, denúncias anônimas levaram até as duas acusadas identificadas como, Maria Aparecida Alves dos Santos e Maria Idalina Modesto de Paiva, proprietárias do bar onde os crimes estariam sendo praticados

O estabelecimento fica às margens da BR-230, próximo a Usina Hidrelétrica Belo Monte. Quando a polícia chegou ao local confirmou a prática do crime e prendeu as proprietárias, que foram conduzidas à delegacia do município e autuadas em flagrante.

Uma das mulheres, que era aliciada no bar, confirmou que parte do valor recebido era repassado às proprietárias o bar foi fechado pela polícia e as acusadas agora estão à disposição da justiça.

 

Flamengo terá de pagar pensão a vítimas de incêndio e familiares

Uma decisão liminar da Justiça do Rio de Janeiro obriga o Clube de Regatas Flamengo a pagar uma pensão mensal de R$ 10 mil às famílias dos dez jovens atletas que morreram em incêndio no centro de treinamento Ninho do Urubu, em fevereiro deste ano. Além dos familiares, o Flamengo também terá que incluir na sua folha de pagamento outros três atletas feridos no acidente. A informação foi divulgada em nota, nesta quinta-feira (5), pela Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro.

A liminar atende a pedido da Defensoria Pública e do Ministério Público Estadual para garantir fonte de sustento às famílias até decisão final sobre indenização. O descumprimento está sujeito à multa diária de R$ 1 mil para cada caso e o clube também terá de pagar os valores referentes aos meses decorridos desde o incêndio.

A defensora pública Cintia Guedes destacou a importância da liminar, uma vez que o clube ainda não sinalizou o pagamento de uma indenização para as famílias, apesar das diversas tentativas de acordos. “A decisão é extremamente importante, pois assegura às famílias dos meninos mortos um valor provisório para sua manutenção financeira, até que haja o pagamento das indenizações devidas pelo clube”, disse Cintia, em nota.

O juiz Arthur Eduardo Magalhaes Ferreira, de acordo com o texto divulgado pela Defensoria, destacou o fato de o Flamengo não ter cumprido espontaneamente, até a presente data, ainda que de forma parcial e provisória, a responsabilidade de prestar apoio às vítimas diretas e indiretas do incêndio.

O Flamengo foi procurado, por meio de sua assessoria, mas até a publicação desta matéria ainda não havia se pronunciado.

(Agência Brasil)

Casal é preso suspeito de aplicar golpes em Altamira

Após investigação, a Polícia Civil prendeu um casal suspeito de golpes em Altamira. Eretide Neves Santos Júnior e Karina Fernanda Lima Souza, usavam um perfil falso na internet, oferecendo veículos para as vítimas. Pelo menos doze pessoas caíram na conversa do casal.

A polícia começou a apurar os crimes após as vítimas procurarem a delegacia para registrar o boletos de ocorrência. Ainda segundo a PC, para convencer as pessoas, a dupla de enviava vídeos que mostravam o suposto veículo a venda. Os compradores depositavam parte do dinheiro pedido e desapareciam.

O superintendente da Seccional Urbana de Altamira, Walisson Damasceno, disse que os valores ultrapassam os R$100 mil em golpes. A dupla agia, segundo ele, em outras cidades.

 

 

 

error: Conteúdo Protegido por [ConfirmaNoticia.com.br]