Perícia libera mais 8 corpos de vítimas do massacre no presídio de Altamira

A Unidade Regional do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPCRC) liberou mais 8 corpos assassinados dentro do Centro de Recuperação Regional de Altamira – CRRA, dos 30 corpos que foram submetidos ao exame de DNA para comparação com material genético dos familiares.

Eles foram identificados como Clevalcio Soares Queiroz; Josué Ferreira da Silva; Edson Costa de Macedo; Sandro Alves Gonçalves; Alan Kart Gomes Rodrigues; Douglas Gonçalves Viana; Maurinei Andrade Mota; Admilson Bezerra dos Santos.

Até então, apenas 18 corpos haviam sido liberados após o exame de DNA. Agora, restam 4 corpos a serem liberados, mas os familiares precisam comparecer ao IML para fazerem a coleta de material genético.

Eles foram sepultados hoje (12) por determinação judicial. Em caso de serem identificados após exame de DNA, os familiares decidirão se os manterão sepultados ou se pedirão para serem exumados.

Mulher é presa cultivando maconha em casa; “é chá pra asma”, declarou a jovem

Chá para asma. Essa foi a versão dada por Larrisa Teles, de 21 anos, presa em flagrante pela polícia civil por cultivar no quintal de sua residência, dois pés de maconha. Um pote com a substância seca, pronta para o uso, também foi apreendido e levado pra delegacia.

De acordo com a polícia, foi através de uma denúncia anônima que eles chegaram até a residência que fica na rua Surubim do RUC Laranjeiras. Na delegacia Larissa disse que o marido que é usuário de drogas e seria o responsável pela pequena plantação.

Após a detenção, a jovem foi enquadrada no crime de tráfico de drogas. A lei que institui o sistema de políticas públicas sobre drogas no brasil de 2016, diz que quem for pego cultivando a erva pode responder criminalmente pela ação.

Sebrae promove palestras para empreendedores em Altamira

A transformação digital deixou de ser uma tendência de mercado para se tornar realidade. Esse é o tema que vai nortear as palestras do maior evento de marketing digital do norte do Brasil. O Sebrae Summit, que acontece nesta sexta-feira (13).

Empresas jovens e abertas para novas tecnologias em todos os setores, favorecem a criação de novos processos e mudanças de modelos de negócios.

As inscrições podem ser feitas na agência do Sebrae em Altamira e através do site do evento. As palestras iniciam às 9h, no auditório da Aciapa.

Não sabe o que fazer neste final de semana? Confira as opções

Sexta-feira chegando e você ainda não tem uma programação para o fim de semana? Amanhã (13) você pode curtir uma noite com muito forró no Anel Viário. Saia Rodada e Aviões da Pisadinha farão um super show na cidade.

A estrutura já está sendo preparada para o evento. Os ingressos podem ser adquiridos nos pontos de venda, Óticas Sandra, Minhas Autopeças, Postos Maverick e Farmácia Lacerda, por R$50 pista e R$70 área vip.

Já no sábado (14) , ainda no clima do forró, tem Barões da Pisadinha, na Foccus Club. Os ingressos podem ser adquiridos por R$30 pista e R$60 área vip, com open bar. Mas, atenção, o open bar vai até 00h30, com água, cerveja e refrigerante.

O show do Xand Avião, realizado em agosto, abriu a rodada de eventos em Altamira. A apresentação celebrou os 30 anos da Vale do Xingu e movimentou o setor cultural, trazendo mais entretenimento para a região. Uma oportunidade para empresários e diversão para a população.

Para novembro, Wesley Safadão já é um nome confirmado. A apresentação será na comemoração dos 108 anos de Altamira, na abertura da 41ª Expoalta. Além de Safadão, Márcia Fellipe, Luiza e Maurílio e Lambassaia estão confirmados. Os shows serão nos dias 5,7,8 e 9 respectivamente, mas a festa vai até o dia 10.

(Mayara Freire)

Fuja do golpe do Pis-Pasep que promete saque de mil reais

Fuja do golpe do benefício Pis-Pasep que promete saque do abono salarial de R$ 1.023. Circula entre usuários de aplicativos a falsa mensagem de que quem trabalhou com carteira assinada de 1995 a 2018 tem direito ao saque de um abono salarial de R$ 1.023. O boato ainda se aproveita da reforma da Previdência — enviada ao Congresso Nacional no último dia 20 — para afirmar que quem não fizer a retirada vai perder o direito ao pagamento.

O aviso sobre a falsa mensagem foi divulgado pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, como uma alerta à população. Segundo a pasta, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que trata da reforma da Previdência “só produzirá efeitos a partir de 2020, não tendo qualquer relação com a situação descrita”.

Vale ressaltar que, atualmente, o valor do abono do PIS/Pasep é de até R$ 998 (dependendo do número de meses trabalhados no ano-base de referência para o pagamento) e não de R$ 1.023. Este ano, o saque está sendo feito somente por quem trabalhou com carteira assinada em 2017 por, pelo menos, 30 dias, tendo recebido até dois salários mínimos. Portanto, não é para quem trabalhou de 1995 a 2018.

Além disso, a proposta de mudança no abono salarial do PIS/Pasep prevista na PEC da reforma da Previdência é de restringir esse pagamento a quem ganhou somente um salário mínimo no ano-base de referência. Mas isso ainda depende de tramitação e aprovação do Congresso Nacional para entrar em vigor.

A falsa mensagem leva o usuário a clicar num link que pode redirecioná-lo para um site fraudulento. Nesse tipo de golpe, conhecido como “phishing”, os criminosos tentam fisgar o internauta com uma oferta ou promessa atraente. Ao clicar nesse link, o consumidor pode ter seu computador ou celular infectado por um vírus ou um malware, que pode permitir o sequestro de seus dados.

Orientações

A orientação, neste caso, é apagar imediatamente a mensagem. Nunca informe dados pessoais a terceiros, já que essas informações podem ser utilizadas para fraudes.

Por meio de nota, a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho reiterou “que todos os serviços oferecidos pela Previdência Social e pelo Trabalho, assim como eventuais valores a receber, quando realmente existentes, são comunicados oficialmente pelos órgãos públicos e disponibilizados de forma gratuita aos segurados”.

A pasta ainda destacou que não solicita dados pessoais de seus segurados por e-mail ou telefone.Tampouco faz qualquer tipo de cobrança para prestar atendimento.

“A recomendação é que não recorram a intermediários para entrar em contato com a Previdência e, em hipótese alguma, depositem qualquer quantia para ter direito a algum benefício”.

Cuidados a seguir

– Cuidado com um link desconhecido:pode ser malicioso e, assim que o usuário clica nele pode baixar um malware em seu dispositivo ou ser direcionado a uma página de phishing que coleta dados pessoais.

– Não repasse a mensagem a amigos ou grupos: isso potencializa o alcance do golpe.

– Desconfie de mensagens e anúncios de redes sociais:em caso de dúvida,entre em contato com os bancos envolvidos nos pagamentos dos abonos: Caixa Econômica Federal (que paga o PIS aos trabalhadores da iniciativa privada) e Banco do Brasil (que libera o Pasep aos servidores e aos empregados de empresas públicas).

– Instale uma solução de segurança em seu dispositivo: use, principalmente, um antivírus que tenha tecnologias integradas para evitar fraudes financeiras.

– Denuncie: caso tenha sido vítima de algum crime virtual, o cidadão deve dar imprimir a mensagem, bem como a janela completa com o endereço do link malicioso. O registro de ocorrência pode ser feito em qualquer delegacia do estado ou pelo serviço Delegacia On-line.

(Fonte: Jornal Extra)

Assista ao vídeo

Famílias de presos denunciam maus-tratos

Segundo familiares dos presos imagens de celulares foram feitas dentro do Complexo Penitenciário de Americano, em Santa Isabel do Pará, região metropolitana de Belém. Os detentos aparecem sem roupa e deitados no chão. Em outro vídeo os custodiados são orientados a tirar a roupa no final do banho de sol, seria uma espécie de revista. Alguns dos detentos foram transferidos de Altamira após o massacre que vitimou 58 internos.

Em uma das filmagens os detentos aparecem sentados no chão de um corredor. Os agentes espirram spray de pimenta que é espalhado por um ventilador. Os presos permanecem sentados e passam mal por conta do gás.

Segundo os denunciantes, os vídeos teriam sido feitos há alguns dias e compartilhados nas redes sociais. Os familiares dos detentos ficaram apreensivos após a repercussão das imagens.

Na última terça-feira (10), esposas, mães e filhos de detentos realizaram uma manifestação em frente ao Ministério Público Federal em Belém com cartazes. Elas pediam por melhorias no tratamento dos custodiados do sistema penal. No início de agosto outros vídeos foram compartilhados nas redes sociais. As imagens mostravam uma sela pequena com muitos homens aglomerados de todos de cueca. O local não possui higiene e estava sujo.

Até o momento a Susipe não se manifestou sobre o caso. Nossa equipe enviou pedido de esclarecimento para a assessoria de comunicação e aguarda o posicionamento da Superintendência.

Presídio de Vitória do Xingu será entregue em outubro

O Complexo Penitenciário de Vitória do Xingu, no sudoeste do Pará, será entregue no próximo mês de outubro. O prazo foi definido em reunião realizada na manhã desta quarta-feira (11), entre o governador Helder Barbalho e representantes da empresa Norte Energia. O encontro, que também tratou sobre possíveis parcerias com o programa Territórios pela Paz e ações após a finalização da obra da hidrelétrica de Belo Monte, ocorreu no gabinete do Palácio dos Despachos, em Belém.

Pela construtora, também participou da reunião o diretor presidente, Paulo Roberto Ribeiro; a superintendente jurídica, Denise Albuquerque; e o superintendente de relações institucionais, Eduardo Camillo. Pelo Estado, o secretário de Segurança e Defesa Social do Pará (Segup), Ualame Machado, o secretário Extraordinário para Assuntos Penitenciários, Jarbas Vasconcelos; e o coordenador do Núcleo de Relacionamento com Municípios e Entidades de Classes, Josenir Nascimentos.

As obras de construção dos novos prédios estão em fase de conclusão. O Complexo Penitenciário, que irá reforçar o sistema prisional do Pará com mais 612 vagas, ficará no município de Vitória do Xingu, próximo a Altamira, e terá três unidades: uma voltada para o regime semi-aberto (201 vagas); a segunda direcionada apenas para mulheres (105 vagas); e o masculino (306 vagas). A nova prisão faz parte de um convênio firmado pela Norte Energia com o Estado do Pará, no valor total de R$ 125 milhões de reais, custeado pela empresa.

De acordo com o diretor presidente da construtora, Paulo Roberto Ribeiro, a ala feminina fica pronta até o próximo domingo, dia 15 de setembro. Já o masculino será entregue no dia 8 de outubro, e o semi-aberto em até 30 dias. “O mais importante é entregar o masculino e o feminino por reunirem mais vagas. O compromisso que temos com o Estado é de agilizar essa entrega com mobiliário e tudo, para que, por volta do dia 10 de outubro, seja inaugurado e a gente possa entregar definitivamente o presídio para o Estado”, ressaltou.

Histórico – A obra, cujo contrato para construção foi assinado com a construtora Arteplan em setembro de 2013 – há quase seis anos –, só foi iniciada no segundo semestre de 2014 devido a atrasos causados pela empresa, segundo informou a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe).

Em 25 de julho de 2016, a construtora abandonou o canteiro de obras e tudo foi paralisado. Na época, a ala feminina estava com 80% dos trabalhos concluídos; a ala masculina com 65%, e a unidade do semi-aberto com 46%. As obras de urbanização eram as mais atrasadas, com apenas dos serviços 5% realizados.

Mais de dois anos depois – em 5 de novembro de 2018 –, a Norte Energia assinou um Termo de Encerramento e destinou R$ 15 milhões para as obras de complementação do Complexo Penitenciário.

Para Jarbas Vasconcelos, secretário Extraordinário para Assuntos Penitenciários, o encontro foi muito positivo. O gestor destacou que, atualmente, em Altamira, os sistemas semi-aberto, fechado e feminino têm 311 internos, e que novo complexo terá o dobro da capacidade. “Nós ficaremos superavitários naquela região e, com isso, podemos reequilibrar a superlotação de outras regiões”, afirmou.

Ainda segundo o secretário, o espaço poderá ser entregue no dia 7 de outubro, com a presença do governador Helder Barbalho e do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. “A Norte Energia programou para nos entregar as três unidades prisionais que formam o Complexo Penitenciário de Vitória do Xingu. Além do prazo que foi antecipado do mês de junho de 2020 para outubro de 2019, a construtora agora vai entregar as unidades aparelhadas”, destacou Jarbas Vasconcelos.

TerPaz

Durante o encontro, Helder Barbalho conversou com os representantes da Norte Energia para que a empresa possa apoiar o programa Territórios pela Paz (TerPaz), do governo do Pará, para criação de uma sede em Altamira. A iniciativa envolve mais de 30 órgãos estaduais na oferta de ações e serviços com o objetivo de combater a criminalidade em sete bairros da capital paraense.

Além disso, o programa colabora em ações de empreendedorismo e valorização do micro e pequeno empresário, contribuindo para a geração de emprego e renda no Estado, uma das diretrizes do governo atual.

“O governador trouxe a proposta de nos integrarmos ao TerPaz e prontamente aceitamos participar, pela importância de reduzir a criminalidade, a violência, dar perspectivas de futuro à população, e alternativas de as pessoas se ocuparem. Agora vamos definir de que maneira podemos nos inserir no projeto. Teremos reuniões para definir isso e com certeza estaremos juntos no Programa”, evidenciou Paulo Roberto Ribeiro, diretor presidente da Norte Energia.

Belo Monte

O projeto de Belo Monte foi outro assunto discutido na reunião da manhã. A usina é a maior 100% brasileira e tem investimento de R$ 42 bilhões no Pará. Na pauta com o governador, foi discutido como a Norte Energia vai priorizar uma agenda socioambiental indígena a partir de novembro, quando finalmente a obra estiver concluída.

Paulo Roberto Ribeiro explicou que, naturalmente, por ser um projeto de grande importância, exige uma aproximação institucional muito grande, ou seja, a relação governo-empreendedor é fundamental, especialmente no caso específico de Belo Monte, pela magnitude e volume de investimentos.

“A usina tem uma responsabilidade muito grande na sua área de atuação, tanto que já foram gastos cerca de R$ 6 bilhões em programas socioambientais, envolvendo, inclusive, a comunidade indígena da região. A partir de novembro, teremos todas as 18 máquinas do projeto rodando com 611 Megawatts (MW). Cada máquina equivale a usina de angra 1 no Rio de Janeiro, que tem 640 MW. É como se o Pará tivesse uma usina equivalente a uma usina nuclear. Com o potencial de investimentos, então, nasce um compromisso forte da Norte Energia com o socioambiental. Vamos agregar a esses projetos as demandas do nosso Estado”, finalizou o diretor presidente.

(Agência Pará)

Assista ao vídeo

Diretora de presídio em Altamira nega que tenha sido avisada sobre massacre

As mensagens divulgadas nas redes sociais mostram uma conversa que seria entre a diretora do Centro Regional de Recuperação de Altamira – CRRA, e um agente prisional. Em uma das conversas o funcionário diz que tinha informação que uma das facções criminosas estaria planejando matar três detentos, dentre eles o Sandro do Rebojo, morto durante o massacre.

O alerta seria sobre os planos dos detentos de realizarem uma suposta rebelião que no dia 29 de agosto entraria para a história do sistema penitenciário do Pará. Esposa de um dos detentos que sobreviveram à chacina que resultou na morte de 58 presos, afirma que a ação teria sido muito bem organizada. “Fizemos uma manifestação, fomos lá para conversar com eles, pedir atenção dela e ela não deu. Essa manifestação foi antes, bem antes disso acontecer. A gente a avisou, chamamos ela. Pra gente ter acesso a ela foi através de um advogado, porque ela não atendeu nenhum de nós”, conta a mulher que pediu pra não ser identificada.

As conversas teriam acontecido dias antes do massacre, e mostram que a diretora foi avisada com antecedência e não teria tomado as providências necessárias para evitar o confronto, considerado, o segundo maior do Brasil.

Os detentos também escreveram bilhetes informando que a briga entre facções aconteceria no CRRA. Após a confirmação do massacre, a cúpula da Segurança Pública do Pará montou estratégias para identificar e punir os responsáveis. Imagens das câmeras de segurança da manhã daquela segunda-feira ajudaram nesse trabalho e identificaram 16 detentos como líderes da chacina, eles foram transferidos para presídios federais e mais 30 presos foram indiciados por terem participação no crime.

Durante o transporte a outras casas penais, 4 morreram no caminhão cela da Susipe. Denúncias de possíveis maus tratos foram feitas por familiares dos presos.

Na semana passada, a Polícia Civil deu cumprimento de mandados de prisões temporárias contra os dois agentes penitenciários que foram feitos reféns no dia do massacre. A operação eclusa apontou supostas falhas no procedimento dos servidores da Susipe, após serem transferidos à capital, a justiça concedeu liberdade a Willian Costa e a Diego Leonel. A defesa deles rebate as acusações feitas pelo estado.

Agora, com esse novo capitulo de possíveis alertas feitos dias antes da rebelião, familiares dos detentos mortos cobram por respostas.

Por telefone a diretora Patrícia Abucater rebateu as acusações e disse que não foi avisada sobre o massacre, já a Susipe respondeu os questionamentos.

(Paulo Henrique Oliveira)

Após dizer que pararia queima de máquinas de garimpo, chefe do Ibama no PA é demitido

O Ministério do Meio Ambiente demitiu o chefe do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) no Pará, Evandro Cunha dos Santos, pouco mais de uma semana após sua nomeação, depois que o superintendente anunciou que interromperia a queima de máquinas apreendidas em operações de combate ao garimpo ilegal.

A demissão de Santos, que fora nomeado para o cargo pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, no dia 2 de setembro, foi publicada no Diário Oficial da União, nesta quarta-feira.

PUBLICIDADE

Na segunda-feita, Santos afirmou durante audiência pública no município de Altamira, um dos recordistas de queimadas e desmatamentos da floresta amazônica, que tinha recebido ordem do governo para acabar com a destruição de maquinas.

A fala de Santos causou reação no comando do Ibama em Brasília, e a coordenação-geral de fiscalização ambiental enviou ofício à Diretoria de Proteção Ambiental do órgão alertando que a declaração “elevou os riscos aos agentes na região” que trabalham ao lado de forças de segurança no combate a crimes ambientais, segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo.

“Não é para queimar nada, maquinário, trator, seja o que for. Não é esse o procedimento, não é essa a orientação”, disse Bolsonaro no vídeo.

O presidente, que defende a exploração da Amazônia, tem enfraquecido o Ibama desde que tomou posse, segundo apurou a Reuters em entrevistas com dez funcionários antigos e atuais, registros públicos e uma análise de relatórios internos do governo.

O Pará foi um dos Estados da região amazônica com alta expressiva no número de focos de incêndios registrados em agosto deste ano em relação a 2018, contribuindo para um aumento das queimadas na Amazônia que surpreendeu o mundo e resultou em cobrança internacional sobre o Brasil pela preservação da floresta.

(Revista Exame)

Assista ao vídeo

Funcionários dos Correios do Pará decretam greve

Os servidores dos Correios do Pará decretaram greve por tempo indeterminado após assembleia geral realizada em Belém na terça-feira (10).

De acordo com a categoria, 80% dos servidores aderiram à greve. Além da região metropolitana, cerca de 25 municípios aderiram à paralisação. Funcionários dos Correios de outros estados também entraram em greve.

A categoria quer impedir a redução dos salários e de benefícios, e é contra a transferência da estatal para a iniciativa privada –no mês passado, a empresa foi incluída no programa de privatizações do governo Bolsonaro.

O reajuste salarial com reposição da inflação do período é um dos principais pontos reivindicados pela categoria. No entanto, os trabalhadores querem também a reconsideração quanto a retirada de pais e mães do plano de saúde, melhores condições de trabalho e outros benefícios.

(G1)