Homem é executado com seis tiros no bairro Bela Vista

Cleiton dos Santos tinha 28 anos e foi assassinado em uma casa na Rua Da Seringueira no bairro Bela Vista. Foram pelo menos seis disparos à queima roupa. A vítima tinha saído de alvará há 20 dias do Centro de Recuperação Regional de Altamira – CRRA.

O crime aconteceu às 22h de terça-feira (3). Os bombeiros ainda tentaram socorrer a vítima, mas Cleiton já estava morto.

Ele era natural de Altamira, tinha cumprido nove meses de prisão por furto no município de Senador José Porfírio. A polícia não descarta a possiblidade acerto de contas e conta com o apoio da população para repassar informações que ajudem na identificação do autor dos disparos, que segue foragido.

Veja reportagem completa.

Morador denuncia problemas na rede de esgoto no Independente II

Moradores do independente II do conjunto Jardim Elvira, rua 13 de maio, reclamam de um transbordamento da rede de esgoto no local.

Após o incidente, o autônomo Otton Lima conta que o poço da casa dele teria sido afetado, deixando a água imprópria para consumo. No copo, e também na caixa de descarga ele mostra a coloração que teria ficado alterada. Otton acionou por conta própria laboratórios para a realização de exames para testar a qualidade da água. O resultado mostrou que há presença de coliformes fecais no líquido.

Segundo ele, o problema já foi relatado à empresa responsável pela manutenção da rede de esgoto, a Norte Energia.

Além da residência de Otton, a casa do vizinho dele também teria sido afetada pela rede de esgoto transbordando. O morador acionou também o Ministério Público do Estado do Pará para tentar resolver o problema.

Em nota, a Norte Energia informou que “realizou atendimento imediato de verificação e correção do caso referido pela reportagem. Com relação à suspeita de contaminação do poço, a Empresa está fazendo análises complementares e, se confirmada tal suspeita, serão adotadas medidas para sanar o problema”.

Vereadores debatem projetos voltados à saúde e educação

Os moradores fizeram questão de acompanhar o trabalho dos vereadores na sessão do legislativo, que aconteceu na noite de terça-feira (03). Vários projetos foram apresentados, dentre eles a proposta do vereador Maia Júnior, que recomendou a prefeitura de Altamira a criação de um programa de saúde preventiva utilizando as academias ao ar livre com a contratação de profissionais da saúde e da educação física para auxílio.

Já a vereadora Irenilde Gomes propôs a criação de material informativo em braile nos órgãos públicos para pessoas com deficiência visual. Segundo ela, o número de pessoas cegas aumentou, por isso, é importante que elas possam ter informações de maneira que possam entender.

Paralelo as propostas voltadas à saúde e educação, os moradores questionaram os vereadores sobre a realização do concurso público de Altamira. O presidente da casa de lei, Loredan Melo, falou que irá pedir a prefeitura um parecer sobre o andamento do concurso, já que o pregão para a contratação da banca organizadora está suspenso por decisão do Tribunal de Contas do Município – TCO.

A sessão da câmara acontece toda terça-feira a partir 18h30 e toda população pode acompanhar a votação das propostas feitas pelos vereadores.

Em nota a prefeitura informou que o pregão para a contratação da banca organizadora está suspenso de forma temporária por decisão do TCO, que solicitou ampliação de critério de avaliação da empresa vencedora do certame, para menor preço e melhor qualidade técnica. Após adequação será relançado o edital. A prefeitura reafirmou ainda seu compromisso com a celeridade deste processo e garante que o concurso será realizado.

Adolescente com sinais de embriaguez é flagrada pela PM

Uma adolescente foi flagrada por uma guarnição da Polícia Militar em situação de risco. Ela estava com sinais de embriaguez no centro da cidade e foi conduzida à delegacia até a chegada dos conselheiros tutelares.

De acordo com o conselheiro Ernesto Moraes, ela disse que teria vindo de carona do estado da Bahia com caminhoneiros. Mas, depois foi verificado que a informação não era verdadeira.

A adolescente foi encaminhada à casa de passagem que abriga menores em situação vulnerável. Ao checar informações, os conselheiros descobriram que a garota de 14 anos na verdade é natural de Senador Jose Porfirio e teria fugido com a ajuda de amigas à Altamira. A menor também conseguiu fugir da casa de passagem da cidade, até agora o conselho não tem informações sobre o paradeiro dela.

De acordo com o código brasileiro abrigar criança e adolescente sem autorização dos pais é crime com pena que pode variar entre dois meses a dois anos de cadeia.

Futsal abre a rodada do 1º Jogos Estudantis de Altamira

Em uma cultura ainda machista, as meninas entraram em quadra e mostraram as habilidades com a bola. A cada jogada a torcida vibrava na arquibancada que lotou no primeiro dia de competição. Animação era o que não faltava para essa garotada. A disputa era acirrada entre as alunas nas partidas. Graziely Ribeiro e sua equipe são da escola Sebastião Oliveira, ela conta que os treinos foram intensos, tudo para garantir a vitória.

Para o professor de educação física Eldo Barradas, o evento é fundamental para os alunos no incentivo ao esporte e lazer. Os jogos irão acontecer até o dia 5 de setembro.

Os jogos da modalidade feminina aconteceram na quadra da escola Polivalente, cada time representava uma instituição de ensino no 1º Jogos Estudantis de Altamira que reúne alunos das escolas municipais e estaduais.

O evento é organizado pela Secretaria Municipal de Educação – Semed, e faz parte das atividades alusivas a semana da pátria.

Altamirense se torna embaixadora de marca internacional

Empoderamento, autoestima e coragem! Esse é o lema de Andressa Barros , 22 anos. A altamirense trabalha como digital influencer e tem 51 mil seguidores no Instagram. Nas redes sociais, ela posta a rotina, compartilha dicas de moda e também de cuidados com o cabelo. Com seus cachos ela mostra às mulheres que vale a pena ser livre de produtos químicos, e assumir a beleza natural dos fios. “Na época tinha poucas meninas que se aceitavam e hoje muita menina se aceita, muita menina com cabelo crespo, muita menina passando por transição”, conta Andressa.

View this post on Instagram

O que te faz feliz ? #cachos

A post shared by ANDRESSA BARROS (@andressabarrosv) on

Recentemente, ela foi convidada para ser embaixadora de uma marca internacional de produtos de cabelo, a blogueira saiu de Altamira para morar em outra cidade. A cacheada chama a atenção por onde passa e tem ganhado novos horizontes levando o nome da cidade para outros lugares. Um salto gigantesco na carreira dela como digital influencer. Mas, para chegar longe ela precisou vencer o preconceito.

O Brasil é o segundo maior mercado para produtos capilares e é também o país com mais tipos de cabelo no mundo. A maioria são variações de fios cacheados e crespos, como já mostraram diversas pesquisas. Uma, feita pela pelo instituto beleza natural e a universidade de Brasília (UNB), mostrou que esse índice é de 70%. “Meu cabelo me abriu muitas portas. Sempre tive muito amor próprio, sempre tive cabelo crespo e gostei dele”, explica.

Uma porcentagem que orgulha Andressa, de volta à Altamira agora, ela vai representar a cidade até mesmo fora do país. “Familiares todos são daqui de Altamira, eu mudei pra cá quando tinha 5 anos e me sinto altamirense. É muito gratificante levar o nome daqui, me deixa feliz, emocionada”, declara a influencer.

Com seu protagonismo, beleza e simpatia, Andressa representa a mulher e sua pluralidade. A estudante convoca de forma espontânea mulheres que querem ser livres, e a gente não fala só da aceitação do cabelo não. A blogueira é exemplo de que é preciso acreditar nos sonhos que se tem e ter coragem para abraçá-los.

(Karine Weil)

Assista ao vídeo

Servidores da Susipe fazem corpo de delito e são transferidos para Belém

Após serem ouvidos pelos delegados responsáveis pelo caso, Willian Costa Da Silva e Diego Leonel Baia passaram por perícia no início da tarde de terça-feira (03), os dois foram levados ao Centro de Perícias Renato Chaves por uma equipe da Polícia Civil de Altamira. Em seguida eles retornaram a delegacia para os últimos procedimentos até a transferência.

Os dois agentes foram levados ao aeroporto por volta das 16h. A aeronave do Grupamento Aéreo de Segurança Pública – Graesp, já estava no aguardo para a decolagem.

De altamira os dois seguem para Belém e devem ser encaminhados para o Centro de Reclusão Coronel Anastácio das Neves, para onde vão servidores públicos que respondem por algum tipo de crime.
William e Diego foram feitos reféns por detentos no dia do massacre no presídio de Altamira. A ação resultou na morte de 58 custodiados. Segundo a Polícia Civil, eles foram presos suspeitos de terem facilitado ações que resultaram na chacina dentro do CRRA. As duas prisões fazem parte da operação “eclusa” da PC.

Os agentes eram servidores temporários da Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará – Susipe. A operação é a segunda fase das investigações sobre a rebelião ocorrida na casa penal, o primeiro inquérito apurou as condutas dos internos.

58 detentos morreram no massacre do Centro de Recuperação Regional de Altamira (CRRA)

Inep divulga gabarito do Encceja 2019

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) divulgou o gabarito das provas do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). O resultado da prova pode ser conferido no site da instituição .

O exame foi aplicado no dia 25 de agosto. No total, 1,1 milhão de jovens participaram, dentro de um universo de 3 milhões de inscritos. O número representou um aumento de 45% em relação à última edição do Encceja, um recorde histórico segundo o ministro da Educação, Abraham Weintraub.

No total, inscreveram-se pessoas de 613 municípios de todas as regiões do país. Os resultados estão previstos para dezembro. A data ainda não divulgada pelo Ministério da Educação.

O Encceja é voltado para pessoas que não terminaram os estudos na idade adequada e desejam obter a certificação de conclusão do ensino fundamental ou médio. Para o certificado de ensino fundamental a idade mínima é 15 anos. Já para o de ensino médio, o exigido é pelo menos 18 anos.

Encceja Exterior

Para quem vai fazer o Encceja Exterior, para brasileiros residentes em outros países, o Inep disponibilizou os locais de prova. Eles podem ser conhecidos por meio do cartão de confirmação de inscrição, que pode ser acessado pela página do candidato.

O exame será aplicado em 18 cidades de 12 países: Bruxelas (Bélgica); Barcelona e Madri (Espanha); Boston, Houston, Nova Iorque e Miami (Estados Unidos); Paris (França); Caiena (Guiana Francesa); Amsterdã (Holanda); Roma (Itália); Nagoia, Hamamatsu e Tóquio (Japão); Lisboa (Portugal); Londres (Reino Unido), Genebra (Suíça) e Paramaribo (Suriname) .

Mais informações podem ser obtidas na página do exame no site do Inep.

As revelações do estudo que descartou o ‘gene gay’

O estudo, publicado na revista Science, aponta que, na verdade, há várias variações genéticas associadas a relações entre pessoas do mesmo sexo. Mas fatores genéticos só respondem por, no máximo, 25% do comportamento de pessoas que se relacionam com pessoas do mesmo sexo.

Os pesquisadores das universidades de Harvard e Massachusetts Institute of Technology (MIT) examinaram a composição genética de 409 mil pessoas inscritas no projeto Biobank do Reino Unido e 68,5 mil registradas na empresa de testes genéticos 23andMe.

Os participantes responderam se tinham exclusivamente relações com parceiros do mesmo sexo ou se também com pessoas do sexo oposto.

A genética pode ser responsável por até 25% do comportamento entre pessoas do mesmo sexo, quando todo o genoma é considerado, segundo pesquisadores. Mas só cinco variações genéticas se associam “significativamente” ao comportamento homossexual, segundo o estudo. Juntas, explicam menos de 1%.

‘Impossível prever’

Ben Neale, professor de genética no Hospital Geral de Massachusetts, que trabalhou no estudo, diz que “a genética não explica nem metade dessa questão de comportamento sexual, mas ainda é um fator muito importante”.

“Não existe um único gene gay. Um teste genético para prever se a pessoa vai querer ter um relacionamento homossexual não vai funcionar. É impossível prever o comportamento sexual de um indivíduo a partir de seu genoma”, afirmou.

Fah Sathirapongsasuti, cientista sênior da 23andMe, acrescentou: “Esta é uma parte natural e normal da variação em nossa espécie e também deve apoiar a posição de que não devemos tentar desenvolver a ideia de ‘cura’ gay. Isso não é do interesse de ninguém”.

David Curtis, professor honorário do Instituto de Genética da University College London (UCL), disse: “Este estudo mostra claramente que não existe um ‘gene gay’. Não há variação genética na população que tenha algum efeito substancial na orientação sexual.”

“Pelo contrário, o que vemos é que há um número muito grande de variantes que têm associações extremamente baixas”, diz. “Mesmo considerando que a homossexualidade não seja geneticamente determinada, como mostra este estudo, isso não significa que não seja de alguma forma uma parte inata e indispensável da personalidade de um indivíduo”.

Zeke Stokes, da ONG GLAAD, disse que a pesquisa “reafirma o entendimento estabelecido há muito tempo de que não há um grau conclusivo de que a natureza ou a criação influenciem o comportamento de uma pessoa gay ou lésbica”. O grupo, Gay & Lesbian Alliance Against Defamation, tem como foco monitorar a forma como a imprensa retrata as pessoas LGBT.

(BBC)

‘Você ficou sabendo?’ – entenda a ciência por trás da fofoca

Quantas fofocas você já ouviu ou fez hoje? Espere, não responda ainda. A maioria de nós faz muitas fofocas durante o dia, mesmo sem perceber. Aliás, um estudo publicado este mês na revista Social Psychological and Personality Science apontou que as pessoas gastam cerca de 52 minutos por dia apenas fofocando. O conteúdo da fofoca, no entanto, vai surpreender. Os pesquisadores explicaram que a definição de fofoca respeita um princípio básico: falar sobre alguém que não está presente, independente de estar contando que um colega de trabalho passou vergonha no happy hour da empresa ou que sua prima vai casar no próximo final de semana.

Ou seja, a maioria dos 52 minutos que um indivíduo passa fofocando diariamente envolve o compartilhamento informações inofensivas sobre a vida cotidiana. Mas por que fazemos isso? Segundo especialistas, o ato de fofocar é um instinto humano fundamental que existe pela necessidade de viver em grupo e sobreviver dentro dele. “As pessoas precisam ter o máximo de informação possível sobre os indivíduos ao seu redor para saber como eles são, em quem se pode ou não confiar, quem quebra regras do grupo, quem é amigo de quem, quais são as personalidades e pontos de vista das outras pessoas, etc”, explicou Mark Leary, da Universidade Duke, nos Estados Unidos, à revista Health.

Questão de sobrevivência
Desde o princípio da humanidade, a fofoca faz parte do cotidiano como forma de sobrevivência. Os nossos ancestrais, por exemplo, dependiam de outros membros da tribo para obter comida, abrigo e proteção. No entanto, se o membro responsável pela caça de repente ficasse doente e não pudesse cumprir sua obrigação, os membros que dependiam dele poderiam passar fome se alguém não os notificasse sobre a doença. Isso comprometeria a sobrevivência do grupo.

Pense na sua família. Se a pessoa responsável por sustentar a casa perdesse o emprego, não seria melhor ficar sabendo o mais rápido possível para conseguir planejar melhor a administração das despesas mensais? Talvez, essa pessoa prefira não falar imediatamente na esperança de conseguir outro emprego logo, mas, se isso não acontecer, o bem-estar da família pode ficar comprometido. Portanto, alguém do grupo pode achar melhor avisar os demais sobre o ocorrido para ter um plano reserva em caso do emprego não aparecer tão rápido quanto se esperava. Uma fofoca necessária.

(veja)