Detentos pulam muro e fogem de presídio no Pará

Três internos fugiram do Centro de Recuperação Agrícola Silvio Hall de Moura (CRASHM), em Santarém, oeste paraense, pulando a muralha da unidade penal. Um deles fugiu na tarde de domingo (18) e os outros dois nesta segunda-feira (19).

De acordo com informações da Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe), Adilson Santana dos Santos fugiu por volta das 16h30 de ontem.O interno conseguiu subir no telhado e em seguida pulou a muralha da unidade.

Já Rodrigo Nunes Corrêa e Raivan dos Santos Silva fugiram, na manhã desta segunda-feira, também pulando a muralha da casa penal.

Os agentes prisionais da unidade realizaram buscas, mas os detentos não foram encontrados. O boletim de ocorrência das fugas já foi realizado, segundo a Susipe.

Quem tiver qualquer informação que possa ajudar na recaptura dos fugitivos pode fazer uma denúncia anônima pelo 181. O sigilo é garantido.

(DOL)

Gianecchini mostra expectativa para capítulo em que Régis é descoberto em novela

No capítulo da noite desta segunda-feira (19) em ‘A Dona do Pedaço’, vai ao ar a cena que Maria da Paz (Juliana Paes), irá descobrir toda a verdade sobre o caso da filha, Josiane (Agatha Moreira), e Régis (Reynaldo Gianecchini).

A expectativa dos fãs da novela pela cena é grande. E entre o elenco não é diferente.

O ator compartilhou um vídeo no qual ele aparece lado de Juliana e ambos se divertiram muito ao mostrar aos seguidores a empolgação para o capítulo.

Em sua legenda, Gianecchini escreveu: “Produção, a gente quer ir para casa ver o capítulo da novela. Ansiosos!”.

Muitos seguidores do ator resolveram comentar no post: “Hoje não perco por nada!”, “WhatsApp ficou fora do ar por causa da novela”, “Já vou deixar a pipoca no jeito.”

(DOL)

Organização indígena questiona laudo sobre morte de cacique no Pará

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), entidade que defende direitos dos índios no país, questionou a conclusão de peritos da Polícia Técnica do Amapá (Politec-AP) de que foi afogamento a causa da morte do cacique Emyra Waiãpi, cujo corpo foi encontrado no dia 23 de julho, na Terra Indígena Waiãpi, no oeste do Amapá.

“É com completa indignação que recebemos a notícia do laudo sobre a morte do cacique Emyrá Wajãpi, no qual o órgão nega os indícios de assassinato e afirma que o exame sugere fortemente a ocorrência de afogamento”, manifestou a Apib, em nota divulgada neste final de semana. A entidade pede que “as investigações sejam realizadas de maneira séria e responsável para que uma guerra e mais derramamento de sangue seja evitado”.

No fim do mês passado, índios denunciaram às autoridades públicas que garimpeiros invadiram a terra indígena e que o cacique foi morto durante a invasão. Na ocasião, o Conselho das Aldeias Waiãpi-Apina, que é composto por lideranças de todas as aldeias da terra indígena, afirmou que Emyra Waiãpi foi morto de forma violenta. O conselho associou a morte à suposta invasão da reserva por não índios armados, mas revelou não haver testemunhas do suposto crime.

Na última sexta-feira (16), a Polícia Federal (PF) divulgou nota informando que o resultado preliminar do exame necroscópico feito por peritos da Politec-AP não registrou nenhum ferimento que possa ter causado a morte do líder indígena. No laudo divulgado pelo órgão, o resultado preliminar sugere afogamento. “O laudo conclui que o conjunto de sinais apresentados no exame, corroborado pela ausência de outras lesões com potencial de causar a morte, sugere fortemente a ocorrência de afogamento como causa da morte de Emyra Waiãpi.”

A PF ainda aguarda o laudo complementar toxicológico, que deve ficar pronto em até 30 dias, para auxiliar na investigação.

Para a Apib, as informações veiculadas pela Polícia Federal contradizem o testemunho dos índios de que a região foi invadida por homens armados. O relato deles foi divulgado pela prefeita de Pedra Branca do Amapari, Beth Pelaes (PMDB), em vídeo divulgado nas redes sociais. A prefeita e o coordenador do município, Kurani Waiãpi, disseram que cerca de 50 garimpeiros fortemente armados estavam acampados próximo à aldeia Mariry, no interior da terra indígena, segundo relataram os indígenas.

A Agência Brasil procurou ouvir os representantes do Conselho das Aldeias Waiãpi-Apina, mas, até a conclusão da reportagem, não recebeu respostas.

Anteriormente, a Fundação Nacional do Índio (Funai) já havia informado, por meio de sua assessoria, que continua acompanhando o trabalho de investigação da PF, órgão ao qual compete apurar os fatos narrados pelos índios, com o apoio dos servidores locais da fundação indigenista. As assessorias da PF e da Polícia Técnica afirmaram que a íntegra do laudo não será divulgada.

(Agência Brasil)

Amigos e familiares deixam último adeus à agente assassinado

O velório aconteceu em uma igreja, no centro de Altamira, onde a família, parentes e amigos se despediram e fizeram as últimas homenagens a Fabrício Desangelys.

A cerimônia foi marcada por muitas lágrimas. Uma morte violenta que interrompeu planos e sonhos. Desangelys era casado e tinha um filho, ele era bastante querido pelos amigos de trabalho. Para o diretor do departamento de trânsito a morte do inspetor foi uma grande perda para a família Demutran. “A gente lamenta muito, mais uma vez uma vítima da violência em Altamira. Era um funcionário nosso de primeira linha e infelizmente veio a ocorrer isso com ele. Estamos abalados com o que aconteceu”, disse Josué Mendes.

Pela manhã de domingo o cortejo para o sepultamento saiu em direção ao cemitério São Sebastião, localizado no KM-4, saída da cidade. Na chegada, amigos, mototaxistas e companheiros de trabalho fizeram um corredor por onde passou a viatura do Demutran com o caixão.

Em meio as lágrimas e palmas os companheiros de farda levaram o caixão até a sepultura. “Éramos irmão, amigos, parceiros em tudo. E hoje estou sem ele”, declarou Alex Desangelys, irmão da vítima.

Alex pede ainda que justiça seja feita que os culpados possam pagar pelo crime. “Fica lembranças boas, onde um sempre defendia o outro. E hoje eu não pude defender o meu irmão e por isso eu peço justiça”, completou.

Para o amigo, Carlos Alberto Rodrigues, fica o legado de um excelente profissional e a lembrança de um grande amigo e parceiro que sempre estava pronto ajudar a todos. “Uma risada inconfundível, um cara que onde chegava não tinha tristeza. Logo se destacou, subiu para inspetor. É aquela pessoa que vestiu realmente a farda e ele sou honrar e zelar como profissional e ser humano”.

(Karine Weil)

Assista ao vídeo

UEPA divulga duas novas listas de repescagem para o Vestibular 2019

A Universidade do Estado do Pará (Uepa) divulgou na manhã desta segunda-feira (19) mais duas listas de candidatos convocados em repescagens de processos seletivos. Os editais referem-se à 2ª Repescagem do Prosel 2019-2 e à 12ª lista de Repescagem do Prosel 2019.

Os estudantes convocados devem efetuar a matrícula na coordenação do campus para o qual foram aprovados, nos dias 20 e 21 de agosto (terça e quarta-feira), de 8h às 12h e de 14h às 18h, apresentando a documentação exigida nos editais de origem: 062/2018 para os convocados na 12ª chamada ou edital 030/2019 para os aprovados na 2ª Repescagem do Prosel 2019-2. Caso o estudante não compareça no período e horário especificados ou não apresente a documentação obrigatória, perderá o direito ao ingresso na Universidade.

Os aprovados devem levar os originais (para confirmação) e as cópias dos seguintes documentos: Carteira de Identidade; Cadastro de Pessoas Físicas (CPF); Certidão de Nascimento ou Casamento; Certificado de Alistamento Militar (candidatos do sexo masculino); uma foto 3×4 recente (colorida); Título de Eleitor, acompanhado do comprovante de votação na última eleição ou Certificado de Quitação Eleitoral; Histórico Escolar do Ensino Médio; Certificado de Conclusão do Ensino Médio; e Comprovante de Residência (recente e que contenha CEP).

No total das duas chamadas, 23 alunos foram convocados, sendo 17 novas chamadas para alunos cotistas e seis para não-cotistas, distribuídas entre os municípios de Belém, Marabá e Castanhal.

Confira as listas aqui e aqui.

(Oliberal)

Redução da jornada de trabalho de servidor público deve dividir STF

A possibilidade de Estados e municípios em crise financeira reduzirem a jornada de trabalho e cortarem o salário de servidores públicos deve dividir o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), segundo apurou o jornal “O Estado de S. Paulo” com integrantes da Corte.

A medida é um dos principais pontos que o Supremo vai analisar a partir desta quarta-feira, 21, na retomada do julgamento de oito ações sobre a validade de dispositivos da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). A lei foi sancionada em 2000 pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso.

Um dos artigos da lei – que permite reduzir jornada de trabalho e salário de servidores caso o limite de gasto com pessoal de 60% da Receita Corrente Líquida (RCL) seja atingido – foi suspenso de forma unânime pelo STF em 2002. O sinal verde à aplicação dessas medidas daria aos governadores instrumentos para lidar com as dificuldades.

Nas contas do Tesouro Nacional, 12 Estados fecharam 2018 gastando mais que o permitido com a folha de pessoal. Com a redução da jornada, os Estados que ultrapassam o limite poderiam economizar até R$ 38,8 bilhões, conforme revelou o Estado em maio. O relator das ações é o ministro Alexandre de Moraes.

Outro instrumento da lei, também suspenso, é o que permite ao Poder Executivo segurar repasses aos demais poderes quando há frustração de receitas e necessidade de bloquear despesas. Hoje, na prática, Judiciário, Legislativo e Ministério Público dos Estados ficam blindados dos efeitos da crise e acumulam recursos em caixa enquanto falta dinheiro para pagar servidores e outras contas no Executivo.

Dentro da Corte, a previsão é a de que a análise do mérito das ações dure ao menos duas sessões plenárias. A crise dos Estados pode influenciar o resultado, segundo dois ministros ouvidos reservadamente.

O debate ganhou força após a União socorrer novamente os governadores em 2016, sem que isso tenha colocado ponto final à crise. Da antiga composição do Supremo que barrou a autorização para redução de salários de servidores, permanecem apenas os ministros Celso de Mello e Marco Aurélio Mello. Para Marco Aurélio, apesar de a crise ter se aprofundado de 2002 para cá, a Constituição segue “a mesma”. “Não cabe (reduzir salário). Cabe adotar as medidas previstas na Constituição Federal, ou seja, diminuir o número de funções comissionadas e gratificações. O salário é a fonte do sustento do servidor, e ainda tem a cláusula da irredutibilidade dos vencimentos (na Constituição). Minha convicção é firme em sustentar a lei maior, que é a Constituição”, disse Marco Aurélio à reportagem.

Mapa de votos

A expectativa de membros do STF é a de que os ministros Ricardo Lewandowski, Edson Fachin e Rosa Weber se aliem a essa corrente contrária à redução dos vencimentos. Por outro lado, Moraes, Gilmar Mendes e Dias Toffoli – que já ocuparam cargos no Executivo federal – seriam mais sensíveis aos argumentos da União e, portanto, mais propensos a votarem pela legalidade da redução da jornada. Os ministros Luís Roberto Barroso e Luiz Fux tenderiam a aderir a essa ala.

Caso o cenário se confirme, o voto decisivo pode vir da ministra Cármen Lúcia, considerada pelos colegas uma magistrada sensível à opinião pública. Antes do STF, a ministra atuou como procuradora de Minas Gerais, que está mergulhado em grave crise e tem parcelado salários.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Motociclista morre na avenida Ernesto Acioly

Charles Pinheiro morreu em um acidente de trânsito na avenida Ernesto Acioly, na tarde de sexta-feira (16), e o carona ficou ferido. O acidente foi registrado por volta das 15h30 e não teve testemunha.

A via foi interditada por agentes municipais de trânsito. Quando o socorro chegou já não havia mais o que ser feito. A polícia militar esteve no local para dar apoio já que a avenida é bastante movimentada. A vítima trabalhava como barbeiro.

A a suspeita é de que o condutor da motocicleta teria perdido o controle ao subir na avenida. Eles bateram no poste e caíram mais à frente. Havia uma segunda pessoa que estava na garupa. Ela foi socorrida e levada para Unidade de Pronto Atendimento – UPA.

O rapaz que estava na garupa não foi identificado, ele sofreu alguns ferimentos pelo corpo, mas passa bem.

(Paulo Henrique Oliveira)

Assista ao vídeo

Aniversário de 30 anos da Vale do Xingu reúne multidão em Altamira

O show de aniversário da rede de rádio e televisão, Vale do Xingu foi um sucesso. O público lotou o Anel Viário, em Altamira, na última sexta-feira (16). O cantor Xand Avião foi a atração principal do evento. Em suas redes sociais ele falou sobre a apresentação. “Altamira, vocês pegaram pesado comigo, você deve estar pensando o Xand toda noite fala isso, mas tá fora do normal, fora da curva, a galera estava num pique! Meu irmão, sem condição. Sabe aquele Show? foi esse hoje”, declarou o artista.

Xand também agradeceu os fãs e a emissora. “Passei do meu horário de show porque estava muito bom. Quero Agradecer equipe da Vale do Xingu, da 93. Quase quatro anos sem vir pra Altamira e matamos a saudade”, disse.

O show em comemoração às três décadas está sendo planejado há cerca de dois anos. Neste ano, uma série de eventos foram programados para registrar a data. A 93,1 estreou em Altamira em 1989, e em 1990 a Vale do Xingu ganhou também seu canal de TV – afiliada ao SBT. “Eu nunca pensei em trabalhar na Vale do Xingu. Eu vim pra Altamira com 10 anos, e desses 30 da Vale eu estou há praticamente 20, ouvindo em casa, todo dia no almoço, e hoje tenho oportunidade de trabalhar nessa grande empresa e poder proporcionar essa festa conhecendo tanto a Vale do Xingu”, contou o diretor executivo, Leonardo Barros.

Além do público, a equipe da emissora aprovou o presente. “Como que faz com esse show incrível! A gente tá feliz demais. 30 anos de Vale”, declarou a produtora Stéfany Bragança. A apresentadora do SBT Altamira, Raiany Brito, também foi comemorar. “Aprovadíssimo. Merecemos esse mega show, essa megaestrutura. Altamira merece”.

O show contou a produção de Israel Pinheiro que, ao lado da Vale do Xingu, proporcionou uma grande noite para o público da cidade e região. “Quero agradecer ao povo de Altamira, a rádio que confiou no meu trabalho, evento lotado. Obrigado a todos patrocinadores”, disse Israel. Segundo Leonardo, essa foi apenas a primeira parceria. “Foi o primeiro e com certeza vem outros aí com a companhia dele”, contou.

O evento contou com apoio das principais empresas de Altamira como, Circuito Materiais elétricos, Agrominas, Finart, Clínica viver, Óticas Sandra, Mister Burg, Toppnet, Primavera Supermercados, Dallas Hotel, Farmácia Lacerdas, Minas Auto pecas, Castanheira Peças e Serviços, Pro Lar Home Center, Fricotte Melissa, Pop Dents, Flex Academia Orla, Agromina, e Musical Produções.

(Mayara Freire)

Assista aos vídeos