Farra de Vaqueiro lança EP

Vida de Vaqueiro; Vaqueiro Bom são algumas das músicas autorais da banda Farra de Vaqueiro, que já conquistou o Pará, principalmente em municípios das regiões nordeste e sudeste. A banda que tem apenas dois anos de estrada tem agenda lotada em julho e lança neste sábado, 13, um EP com 8 faixas inéditas.

Nos shows da banda, o que predomina é o forró de vaquejada, uma batida mais dançante do estilo, que fala de amores, decepções e também do cotidiano da vida na roça. Em junho, a banda foi responsável pela abertura de shows de bandas nacionais como Wesley Safadão, Calcinha Preta e Saia Rodada. “Para nós são motivos de alegria muito grande, a agenda lotada durante o mês de junho e fazer a abertura de shows de grandes nomes do forró e do sertanejo. Estamos vivendo esse momento crescente da banda e tem sido muito bom”, comenta o sanfoneiro da banda, Vicente Belo.

A banda tem como vocalista Risaldo Ferreira, Vicente Belo na sanfona, Wlad Pereira, no baixo, Paulo Souza, na guitarra, Wagner Diniz, na percurssão, Jadson Ventura nos teclados, Jairo no Brito no Sax e Rodolfo Pompeu no som. Para o show de lançamento do novo EP, Vicente diz que o repertório promete não deixar ninguém parado. “Esse show vai ser predominantemente dançante. Teremos, claro, aquele momento romântico, mas a ideia é ver todo mundo dançando com o Farra de Vaqueiro”, garante o sanfoneiro.

(Assessoria)

“Ciclista aventureiro”passa por Altamira

Uma aventura em duas rodas. A cada pedalada, uma história para o seu Clavi Francisco, de 49 anos. Ele saiu do estado do Paraná no dia 02 de maio em sua bicicleta e viajou passando por diversas cidades e conhecendo maravilhas, até chegar aqui em Altamira.

O “ciclista aventureiro”como se apresenta o seu clavi, trabalhava de serviços  gerais na cidade de Guarapuava, antes de se aventurar em duas rodas Brasil afora.  Ele conta que sempre gostou de pedalar e por este motivo, decidiu conhecer outros lugares, comprou a bike da irmã e saiu pela estrada em uma aventura, que segundo ele, é repleta de adrenalina.  Por onde passa ele recebe ajuda das pessoas, pouso, comida e até, peças para sua companheira.

E é nessa agenda que ele anota os nomes dos lugares por onde já passou.  Estados como Minas Gerais, Mato Grosso, Rio Grande do Sul e claro, que so Pará, já está devidamente registrado. Após conhecer nosso esplêndido rio Xingu, ele segue sua jornada.

Na entrevista para a Vale do Xingu, a produção deixou uma mensagem no caderninho do seu clavi, e junto uma camisa da emissora, para ele lembrar de Altamira e levar para onde for, o lado bom da nossa cidade.

Assista ao vídeo

Servidora pública sofre tentativa de assalto

Marcondes Câmara Da Silva foi detido após tentar roubar uma motocicleta na travessa Paula Marques com a rua Primeiro De Janeiro, no bairro Catedral. A vítima é servidora pública e trabalha na secretaria municipal de saúde.

A vítima havia acabado de estacionar quando foi abordada pelo suspeito que fingiu estar armado e pediu a chave da moto. Ela entregou, se afastou e começou a gritar, nervoso ele não conseguiu ligar o veículo e correu sentido a rua Magalhães Barata pela travessa Paula marques. Ele foi detido por populares. A polícia foi acionada e esteve no local para apreender o suspeito.

Marcondes foi levado para delegacia onde foi verificado que ele já tem passagem pela polícia e saiu do sistema penitenciário há dois meses. Ele estava preso pelo crime de roubo e saiu no dia 15 de abril. Agora ele voltará e responderá por mais este crime.

Assista ao vídeo

Caravana do Governo do Estado chega ao Xingu

O governador Helder Barbalho chegou à região da transamazônica nesta semana com a caravana “Por Todo o Pará”. Ele está acompanhado do vice-governador, Lúcio Vale; de secretários de estado; diretores e gestores de órgãos estaduais. Em Uruará, ele anunciou mais de 23 milhões de reais para pavimentação de 20 quilômetros. Em Rurópolis, assinou a ordem de serviço para pavimentação de 15 km e construção de uma rede de drenagem pluvial e também anunciou obras voltadas à educação. A comitiva seguiu para placas, Medicilândia e Brasil Novo, onde participou da inauguração de uma praça, fez entrega do selo cidade digital, internet gratuita para os moradores e sinalizou obras para a recuperação de importantes avenidas e de estradas e vicinais com previsão de mais de 40 quilômetros pavimentados nas três cidades.

O governador também visitou escolas estaduais, como a Francisca Gomes, em Medicilândia, que recebeu cerca de R$ 3,5 milhões para ampliação de salas e outros serviços.

Em Altamira Helder chegou durante a noite de quarta-feira. O prefeito da cidade, vereadores e moradores receberam a comitiva no centro de eventos. Na manhã desta quinta-feira, Helder entregou um bloco de salas territoriais na universidade do estado do Pará e seguiu para Vitória do Xingu para anunciar reparos na PA-415 que está repleta de buracos, e é uma queixa antiga dos condutores. Lá também será inaugurado o escritório local da Emater, de Vitória do Xingu.

A caravana está percorrendo 15 municípios das regiões Xingu e Tapajós durante esta semana. Senador José Porfírio, Porto de Moz, Pacajá e Anapú estão nesta lista de visita, a primeira depois de Helder ser eleito como governador. Os moradores também devem receber a notícia de reforma de escolas municipais e de obras voltadas para a infraestrutura de importantes avenidas. A agenda do governador nas cidades da região segue até sexta-feira.

(Raiany Brito)

Assista ao vídeo

Uepa inaugura Bloco de Laboratórios em Altamira

Com o intuito de fomentar a educação e a pesquisa científica na região do Xingu, a Universidade do Estado do Pará (Uepa) inaugura, na próxima quinta-feira, 11, às 8h, o Bloco de Laboratórios Prof.ª Edna Cristina Gonçalves dos Santos, no Campus IX da Universidade, em Altamira.

A obra é fruto de fundos do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRS Xingu), que objetiva implementar políticas públicas e iniciativas da sociedade civil para promover o desenvolvimento sustentável e a melhoria da qualidade de vida de mais de 400 mil pessoas que habitam os municípios de Altamira, Anapu, Brasil Novo, Gurupá, Medicilândia, Pacajá, Placas, Porto de Moz, São Felix do Xingu, Senador José Porfírio, Uruará e Vitória do Xingu.

Além da estrutura física do prédio, com área total de 730,18 m2, a Uepa ainda capitalizou recursos para a compra de equipamentos dos laboratórios, para a aquisição de um micro-ônibus, para estruturar o sistema de refrigeração, a acessibilidade e segurança eletrônica do bloco e para a reforma da guarita e estacionamento do Campus IX, totalizando um investimento de dois milhões e duzentos mil reais.

O Bloco é formado por dois andares, que compreendem oito laboratórios. São eles: Laboratório de Biologia/Microbiologia; de Química/Farmacologia; de Anatomia Humana; de Semiologia/Semiotécnica; de Qualidade Ambiental; de Matemática; de Esforço Resistido e de Informática.

Além disso, a nova estrutura conta com uma sala para o Núcleo de Pesquisas e Práticas em Educação Popular e Diferenciada (NUPPEPD), uma sala técnica de sistemas eletrônicos (para servidores), quatro banheiros (sendo dois adaptados às pessoas com deficiência) e uma plataforma elevada. Entre as novidades do local, destaca-se o NUPPEPD, voltado às práticas educativas para povos tradicionais e alfabetização de adultos.

Para o reitor, Rubens Cardoso, o novo espaço garantirá mais possibilidades à comunidade acadêmica e do entorno do campus no município. “A inauguração do complexo de laboratórios é mais uma conquista da sociedade e uma decisão acertada do Comitê Gestor do PDRS Xingu, que aprovou a nossa proposta. Assim, nós estamos possibilitando liberdade de opção, ampliando as janelas de oportunidades para que a população local tenha acesso a um dos maiores ativos econômicos, que é a educação. E isso faz reduzir a pobreza, melhora a equidade das rendas e promove a distribuição de capital humano, sobretudo na área de saúde com o curso novo de Enfermagem que estaremos iniciando já no mês de agosto”, adianta o gestor.

Os laboratórios visam beneficiar atualmente 350 alunos. No entanto, a coordenação do campus estima que o Bloco poderá atender até 620 estudantes de Educação Física, Enfermagem, Engenharia Ambiental e Matemática, quando todas as turmas estiverem matriculadas. “O Bloco de Laboratórios favorecerá maior dinamismo nas aulas dos cursos do campus, possibilitando a articulação entre teoria e prática. O Bloco resulta da aprovação de projetos articulados que visam também a retomada do curso de Enfermagem na Instituição”, afirma o coordenador do Campus, Lair Freitas.

O Bloco também homenageia a professora Edna Cristina Gonçalves dos Santos, que nasceu em 1988, em Ipubi, no Estado de Pernambuco e faleceu em 2016. Foi formada em Educação Física pela Uepa e pós-graduada em Docência do Ensino Superior, pela Faculdade de Tecnologia Equipe Darwin. A coordenação do campus lembra da docente como uma profissional dedicada que contribuiu na instituição com as ações de Ensino, Pesquisa e Extensão, além da organização de eventos e oficinas. Também apresentou e publicou trabalhos voltados para a área de formação, com enfoque na inclusão nas aulas de Educação Física e condições de trabalho docente. Na Uepa trabalhou com as disciplinas Estágio Supervisionado II e Ginástica Contemporânea, e foi avaliada com excelência pelos alunos.

(Nailana Thiely e Ize Sena/Assessoria)

Assista ao vídeo

“Suicídio não é a solução”, amigos se unem para ajudar pessoas com depressão

Uma corrente do bem que iniciou através de uma palestra sobre depressão e suicídio. Os amigos perceberam a necessidade de criar um projeto que pudesse ajudar pessoas e, principalmente jovens, a vencerem a depressão. Daí surgiu o movimento “suicídio não é a solução”. Moisés Alves é integrante do movimento, ele conta que sentiu a necessidade de fazer mais pelas pessoas, “a gente sentiu de expandir, de trazer a temática pra sociedade e as pessoas foram tendo interesse em ajudar. Realizamos esse evento ano passado e queremos repetir esse ano, e queremos que ele seja maior do que foi ano passado”.

Para Sandy Sousa, que é psicóloga e voluntária no movimento, é importante falar sobre a depressão com mais frequência, para que a sociedade possa estar preparada para combater esse mal que não escolhe idade ou classe. “É importante sabermos que o índice tem crescido, em Altamira também. Precisamos nos movimentar enquanto sociedade, seres humanos. As vezes eles não sabem a quem recorrer, não sabem nem o que está acontecendo dentro de si mesmo”, relata a profissional.

O grupo organiza um evento para o dia 7 de setembro, mês de prevenção e alerta ao suicídio. Tudo é feito voluntariamente e para que o evento possa atingir o máximo de pessoas, os amigos precisam contar com o apoio da população. “Um evento como este tem seus custos, vamos realizar na praça da independência, com palestra, teatro e pedimos a colaboração. Não tem nenhum empresário por trás, qualquer ajuda é bem-vinda”, explica Moisés.

O evento vem para tirar dúvidas e ajudar a população a identificar os sinais da depressão, para que possam ajudar quem se encontra nessa situação.

Assista ao vídeo

Morador da zona rural de Anapu pede energia na área

Um idoso procurou a nossa reportagem para denunciar que pede uma ligação de energia pra casa dele há dois anos, mas até agora, nada foi feito.

José Célio Santana tem 69 anos e um problema, por enquanto, sem solução. Há pelo menos dois anos ele pede uma ligação de energia elétrica para a colônia onde vive, na zona rural de Anapu. Mas, segundo ele, nada foi feito até o momento. “eu fiz os protocolos em Belém, e até hoje nada”, conta o idoso.

A concessionária de energia elétrica explicou como é feita a demanda em casos como a do seu josé, que mora afastado do centro urbano do município de anapu. “Ele vai solicitar o protocolo e temos 30 dias para apresentar uma resposta”, conta Anderson Torres, executivo de relacionamento da Celpa.

O executivo afirma que todos que estiverem passando pela mesma situação do seu José Célio, e que moram afastados dos centros urbanos, devem procurar a agência da celpa na cidade onde moram.  Enquanto isso, a concessionária pede que o morador procure a agência munido dos documentos e protocolo de entrada da solicitação.

Defensoria Pública da União deve fechar as portas

A Defensoria Pública da União (DPU) no município faz 50 atendimentos, em média, por dia. Há cerca de três anos a unidade foi instalada em Altamira, após uma luta dos movimentos sociais para que pudessem, junto ao órgão, recorrer para terem os direitos respeitados. A DPU tem o papel de resguardar o direito das pessoas de baixa renda no âmbito da justiça federal. “Foram os movimentos sociais que fizeram a DPU existir em Altamira serão os primeiros que a sentir a falta”, explica o defensor Fabio Sampaio.

A notícia pegou de surpresa Maria das Graças, que está entrando com um processo no órgão para tentar ser reconhecida como atingida pelos impactos da construção da Usina Hidrelétrica Belo Monte. Ela faz parte das famílias que moram na área lagoa e que lutam para serem realocados e indenizados. “”Me preocupo porque se ela fechar como vamos resolver? Não temos como conseguir advogado particular”, conta a aposentada.

O defensor público federal Fabio Sampaio explica que 828 servidores que estão em atuação, deverão ser devolvidos no prazo estipulado e os atendimentos ficarão restritos a Belém, distante mil quilômetro de Altamira. “Com essa devolução a gente vau ter uma perda significativa. Nosso plano emergencial é fechar essas unidades do interior do Brasil para ter uma reorganização. Não vamos poder fazer atendimento presencial aqui, a não ser a realização algum itinerante, bem como as audiências judiciais também ficarão prejudicadas a princípio”, relata Sampaio.

Estado e prefeitura de Altamira assinam convênio para pavimentação

O governador Helder Barbalho encerrou, em Altamira, na noite desta quarta-feira (11), o segundo dia do programa “Caravana por Todo o Pará”, que está percorrendo 15 municípios das regiões Xingu e Tapajós durante esta semana. No Centro de Eventos da cidade, o chefe do Executivo estadual assinou, junto com o prefeito municipal, Domingos Juvenil, um convênio para pavimentação de vias, no valor de cerca de R$ 10 milhões. As ruas que receberão os serviços estão concentradas, principalmente, nos bairros Ibiza e Paixão de Cristo.

A solenidade foi acompanhada pelo vice-governador, Lúcio Vale; secretários de Estado; vereadores e prefeitos de cidades vizinhas. Muitos deles estão, desde a terça-feira (9) integrando a “Caravana por Todo o Pará”, que partiu de Itaituba e deve chegar até Pacajá, percorrendo regiões historicamente abandonadas pelo poder público.

O governador Helder Barbalho fez questão de ressaltar que a presença do aparato estadual em todas as regiões do Pará é uma obrigação e que a sua gestão vai trabalhar para que todos os paraenses se sintam amparados e alcançados pelas ações do governo. Ele se comprometeu a inaugurar, no início do próximo ano, o hospital de Castelo dos Sonhos, distrito longínquo de Altamira, onde as pessoas têm muita dificuldade para acessar os serviços de saúde. Também prometeu ampliar o Hospital Regional de Altamira, para desafogar a demanda sobre as unidades municipais e oferecer um atendimento de melhor qualidade à população.

“Esse convênio que estamos assinando hoje é apenas o primeiro de muitos que ainda virão e que farão de Altamira não apenas o maior município em extensão territorial, mas também o melhor município para se viver”, enfatizou.

O prefeito Domingos Juvenil destacou a parceria de muito tempo do agora governador Helder Barbalho com o município, desde quando ocupou diferentes ministérios e levou muitos benefícios para a cidade, e renovou os votos de que o atual governo possa, de fato, estar presente em todo o Pará, levando obras e serviços para quem mais precisa.

Esperança

Gente como a dona de casa Núbia Lima, de 31 anos, e o marido, Fernando Lima, moradores do bairro da Paixão de Cristo. O casal tem dois filhos pequenos e aguarda ansiosamente pela pavimentação da rua 4, onde vivem. Acreditam que o benefício vai melhorar a qualidade de vida da família. “As crianças sofrem muito por causa da poeira, que traz várias doenças. Além disso, vamos ver melhorado o acesso ao nosso bairro, já que a falta de pavimentação traz dificuldades para ambulâncias e carros de polícia, por exemplo”, enfatizou.

(Agência Pará)

Assista ao vídeo

Câmara aprova em primeiro turno reforma da Previdência

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira (10) em primeiro turno, por 379 votos a 131, o texto-base da proposta de emenda à Constituição (PEC) de reforma da Previdência, que altera as regras de aposentadoria.

Para concluir a votação, os parlamentares ainda precisam analisar emendas e destaques apresentados pelos partidos para tentar alterar pontos específicos da proposta.

Considerada uma das principais apostas da equipe econômica para sanear as contas públicas, a proposta de reforma da Previdência estabelece, entre outros pontos:

  • imposição de idade mínima para os trabalhadores se aposentarem: 65 anos para homens e 62 anos para mulheres;
  • tempo mínimo de contribuição previdenciária passará a ser de 15 anos para as mulheres e 20 anos para os homens;
  • regras de transição para quem já está no mercado de trabalho.

Após a aprovação do texto-base, os deputados votaram um único destaque, rejeitado. Em seguida, o presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) encerrou a sessão, que será retomada na manhã desta quinta (11).

O destaque rejeitado pretendia mudar as regras previstas para professores na reforma. Apresentado pelo PL, propunha para professores da rede pública de ensino a aposentadoria com 55 anos de idade e 30 de contribuição para homens, e com 50 anos de idade e 25 anos de contribuição para mulheres.

A mudança foi rejeitada, mesmo com maioria de votos favoráveis ao destaque. O placar foi de 265 votos a favor e 184 contra. Mas, por se tratar de PEC, eram necessários pelo menos 308 votos para a aprovação.

O resultado da votação do texto-base desta quarta superou as expectativas dos próprios governistas. Até domingo (7), o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, estimava que a proposta receberia cerca de 330 votos.

Contribuíram para o resultado os votos de deputados de partidos de oposição, como PSB e PDT, que tinham fechado questão contra a reforma da Previdência. No PSB, dos 32 deputados da bancada, 11 votaram a favor da reforma. No PDT, oito dos 27 deputados votaram pela aprovação do texto.

Obstrução

Antes de conseguir aprovar o texto-base, os deputados favoráveis à reforma tiveram que analisar no plenário requerimentos regimentais de obstrução apresentados pelos partidos contrários às mudanças nas regras previdenciárias.

O objetivo dos oposicionistas com o uso do chamado “kit obstrução” era atrasar o máximo possível a votação. Porém, todos os requerimentos de obstrução foram rejeitados pela maioria dos deputados ao longo desta quarta-feira.

Por um placar de 334 votos a 29, os defensores da reforma derrubaram um pedido do PSOL que solicitava a retirada de pauta da proposta. Com a rejeição, ficaram prejudicados outros requerimentos que pediam o adiamento da votação.

A oposição fez outra tentativa para atrasar os trabalhos ao pedir que o texto fosse analisado de forma fatiada, votando cada artigo separadamente.

Para contornar a situação, deputados favoráveis à PEC da Previdência usaram uma manobra regimental e apresentaram seis requerimentos que tratavam de procedimentos de votação.

Nessa situação, quando há mais de cinco pedidos no mesmo sentido, o regimento interno da Câmara determina que o presidente da Casa consulte o plenário sobre o procedimento em uma única votação. O plenário acabou rejeitando a votação parcelada por 299 votos a 43, e duas abstenções.

Em seguida, os parlamentares derrubaram em bloco a admissibilidade dos destaques simples, que são as sugestões apresentadas por deputados individualmente. Assim, eles partiram diretamente para a análise dos destaques de bancada.

Embates no plenário

Durante a sessão, parlamentares pró-reforma e oposicionistas travaram uma série de embates sobre as mudanças nas regras previdenciárias.

Parlamentares da oposição afirmaram que a economia prevista com a reforma é injusta e feita em cima dos que ganham menos.

Eles também criticaram a liberação de emendas parlamentares por parte do governo, dizendo que isso faz parte da negociação de votos a favor das mudanças nas regras previdenciárias.

“O governo teve seis meses para tentar convencer o Congresso, o povo brasileiro de que essa reforma combateria privilégios e seria boa para a economia, mas só conseguiu convencer parte dos parlamentares liberando R$ 40 milhões extras em emendas para acabar com a vida do povo trabalhador”, disse deputada Sâmia Bomfim (PSOL-SP).

Parlamentares pró-reforma, por outro lado, repetiram que o texto combate privilégios e que é necessário para cobrir o rombo da Previdência. Eles também refutaram as falas de que a liberação de emendas foi feita em troca de votos.

“Estão aqui parlamentares pensando no Brasil e nas próximas gerações, em detrimento de uma minoria que será derrotada, que só pensa no populismo, em se dar bem, em manter privilégios para corporações e nas eleições do ano que vem”, disse o líder do Cidadania, Daniel Coelho (PE).

“Por que esta reforma vai passar hoje? A esquerda diz que é porque o governo comprou a todos nós. […]. O governo Bolsonaro acelerou o pagamento de emendas de parlamentares ao orçamento da União nos últimos meses. Em maio, foram quase R$ 600 milhões. O partido que mais se beneficiou não foi o PSL. Foi o PT. A bancada do PT foi a que mais recebeu recursos. Sabe quanto? 69 milhões. Será que Bolsonaro está querendo comprar o PT? Não. Porque Bolsonaro não compra ninguém, e muito menos compraria quem quebrou esta nação, quem quebrou o Brasil”, disse o líder do PSC, Otoni de Paula (RJ).

Cartazes e bandeiras

Além dos embates verbais, os parlamentares protagonizaram um confronto visual no plenário, com cartazes, camisas e bandeiras.

Deputados do PDT, por exemplo, subiram à tribuna com cartazes com os dizeres: “Eu não voto contra professoras (es)”. Integrantes do PCdoB usaram camisas com a inscrição: “Não à reforma”; e cartazes com a frase “Reforma injusta”. Parlamentares do PT, do PSOL e do PSB utilizaram recursos visuais semelhantes.

Deputados governistas empunharam bandeirinhas do Brasil e cartazes que diziam que as “únicas reformas que o PT apoiou” foram as do tríplex do Guarujá (SP) e do sítio de Atibaia, em uma referência a processos e acusações que pesam contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Tramitação

Por se tratar de uma proposta de emenda à Constituição (PEC), é necessário que o texto da reforma da Previdência seja aprovado, em dois turnos, na Câmara e no Senado com votação qualificada, ou seja, com os votos de, pelo menos, 60% dos parlamentares de cada uma das casas legislativas. A expectativa é de que a votação em segundo turno ocorra ainda nesta semana.

Na Câmara, para o texto ir adiante, era preciso que, no mínimo, 308 dos 513 deputados votassem a favor da PEC. Ao final da análise dos destaques, a Casa terá que analisar novamente o texto, para que, enfim, possa ser submetido à apreciação dos senadores.

O Senado começará a analisar a reforma previdenciária no retorno do recesso parlamentar de julho, que terá início no dia 18.

(G1)