Homem é assassinado à tiros dentro da própria residência

Na madrugada desta segunda-feira (17) mais uma pessoa foi morta em Altamira, desta vez, o crime foi registrado no bairro Bela Vista, na Travessa das Seringueiras. Jefferson Santos Lima, mais conhecido como Japão, foi assassinado à tiros dentro da própria casa.

Segundo informações de testemunhas repassadas a polícia, Jefferson estava casa por volta de meia noite e meia quando dois homens chegaram chamando por ele. Ele não teria respondido e os criminosos arrobaram a porta e atiraram contra ele.

A vítima foi atingida por vários disparos e morreu na hora. Japão tinha várias passagens pela delegacia por envolvimento em crimes. A polícia civil esteve no local colhendo informações, o caso segue sendo investigado pela delegacia de homicídios. Somente neste mês de junho cinco pessoas foram assassinadas e duas sofreram tentativa de homicídio.

Assista ao vídeo

Fisioterapeuta morre em acidente grave em Senador José Porfírio

Uma fisioterapeuta jovem, bonita e que adorava registrar os passeios. Mas, o que seria mais um fim de semana de alegria com o namorado terminou em tragédia. Patrícia Sobreira Alves, de 26 anos estava no banco do passageiro de um carro que foi parar em cima do muro da garagem da prefeitura de Senador José Porfírio. Ela morreu na hora. O acidente aconteceu por volta de 22h do último sábado (15). Com celulares a população registrou como o carro ficou, uma cena impressionante que chocou a pequena cidade.

Segundo informações de testemunhas, quem conduzia o veículo era Pedro Albuquerque. Quando a ambulância chegou, ele não estava no local. No vídeo, é possível ver ainda a remoção do corpo de Patrícia que foi feita por populares. Foi utilizada uma pá carregadeira para levantar o carro do muro.

Segundo laudo do IML, patrícia sofreu politraumatismo. O airbag do carro não foi acionado, que poderia ter ajudado a evitar a morte. Patrícia trabalhava como fisioterapeuta e era natural de Juazeiro do Norte, interior do Ceará.

Assista ao vídeo

Suspeitos de cometer assaltos são presos no Mutirão

No domingo (16) cinco pessoas foram presas e um adolescente apreendido. Eles são suspeitos de cometer roubos e furtos na cidade. A polícia recebeu a informação de que havia uma moto roubada em frente a uma casa, no bairro Mutirão. A denúncia foi via 190.

Lorisvam Silva Da Silva, Yago de Jesus Mendes, Fagner Santos Moreira, Ariane Moreira Lima, e Edson Souza da Cruz, estavam na casa e foram presos. Um adolescente de 16 anos que estava no local quando a polícia chegou foi apreendido. Todos foram levados para a delegacia de polícia civil de Altamira. A polícia militar informou que os 5 podem fazer parte de uma quadrilha que costuma cometer crimes de roubos e furtos na cidade.

“Provavelmente trata-se de uma quadrilha, vamos comparar com as imagens que temos porque as características batem”, explicou o 2º Tenente Marques. Com os cinco foram encontradas duas pistolas calibre 38. Nas buscas foram encontrados também dois celulares, um relógio, 15 munições calibre 380 e 22 munições calibre 38.

A suspeita era de que a casa servia para comercializar entorpecentes, mas não havia droga no local. Todos os elementos foram detidos e levados à delegacia. Eles permanecem presos, e se condenados, podem passar mais de 4 anos encarcerados. Se alguma vítima reconhecer um dos suspeitos detidos, pode se dirigir à delegacia para registrar o boletim de ocorrência.

Assista ao vídeo

Adolescente é vítima de agressão do namorado

Um casal de adolescentes de Vitória Do Xingu foi acompanhado pelo conselho tutelar até a delegacia de polícia de Altamira. A menina de 16 anos acusa o namorado de agressões físicas graves.

A menina de 16 anos estava com machucados por todo o corpo. Segundo informações da mãe da vítima, ela estaria sofrendo agressões físicas e verbais do próprio namorado. O menino, também de 16 anos foi apreendido.

Os dois estariam juntos há 3 meses. A menina informou à mãe que o namorado havia dito que se ela terminasse o relacionamento ele a mataria. A mãe afirmou que está com medo pela filha.

O adolescente permaneceu na delegacia para prestar esclarecimentos e foi encaminhado ao Ministério Público.

(Athaynara Farias)

II Flix 2019 realiza festa de encerramento

Foram 4 dias de evento, dentro da II Festa Literária Internacional Do Xingu, várias feiras foram expostas para diversos públicos. Entre eles os produtores da região que através de uma disciplina mostraram a população da cidade o que é feito em suas comunidades para ter uma renda. Oficinas, palestras, conferências, entre outras apresentações estiveram na programação do evento. No último sábado, o público lotou o centro de eventos, local principal em que a Flix acontecia.

A festa teve ainda a presença de escritores da região e do Brasil. O escritor e ilustrador brasileiro, Roger Mello, foi o único brasileiro a ganhar o prêmio Nobel de literatura infantil e juvenil. Ele esteve presente e afirmou que sempre teve vontade de fazer parte do evento universitário. “Esse convite me deixa muito feliz, honrado, a maneira de trabalhar com cidadania e valorização do humano é sempre através da criança”, disse Roger.

Cerca de três mil pessoas estiveram presentes durante o evento. Neste sábado, o ilustrador juntamente com Volnei Canônica realizou uma oficina para crianças de 4 a 6 anos. Volnei é presidente do instituto de leitura Quindim, um espaço onde crianças, jovens e adultos possam tem acesso à literatura infantil, juvenil e a conteúdos teóricos sobre a temática. “A gente atende o brasil todo. as pessoas fazem assinatura e recebem os melhores livros”, contou.

O ponto forte do evento foi a exposição e venda de livros. Escritores da região e do estado tiveram a oportunidade de lançar obras. Ao final das conferências, cantores se apresentavam no palco da II Flix. Artistas da região e do estado cantaram vários sucessos. O encerramento contou com a participação de Tynna Riquê.

No encerramento, Aíla cantou seus principais sucessos. A cantora trata de várias temáticas da atualidade e explora sonoridades variadas, sem deixar de lado a essência da música paraense. “Tô superfeliz porque é tão complexo o Pará circular entre si e esse show é essa mistura. Acho que a arte tem esse poder de revolucionar”, declarou a cantora.

Artesãos também tiveram seu espaço no evento. A coordenadora da UFPA/Campus Altamira, Ivonete da Silva, avaliou o evento e já deu uma prévia de quando será a próxima festa literária. “Já tem uma equipe pensando na próxima Flix pro ano que vem, que deve ser em novembro com a temática da Amazônia literária”, explicou a coordenadora.

Assista ao vídeo

Praça da independência é palco de apresentações culturais

A caravana solidária atendeu os cinco Reassentamentos Urbanos Coletivos (Rucs) com oficinas de videomaker, sistemas aquapônicos e produção de geleia. As oficinas aconteceram durante toda a semana. Os moradores do Ruc casa nova produziram um vídeo contando uma história.

O projeto teve o objetivo de celebrar parcerias de fomento à cultura e ao bem-estar social. Os moradores receberam uma capacitação de sustentabilidade com ações voltadas à redução da violência. Cerca de 400 pessoas participaram das oficinas. O presidente do Ruc São Joaquim, Fagner Dias, afirmou que projetos como esse mudam o olhar da população sobre os reassentamentos.

O encerramento aconteceu na praça da independência e contou com a participação de cantores regionais e do estado. A coordenadora do projeto, Joelma Kláudia, afirmou que ficou satisfeita com o resultado.

E para quem não pôde participar, pode esperar que a caravana vai voltar à altamira. Eles devem passar por outras cidades e voltar em breve ao município.

Pará alerta sobre a doença mão-pé-boca

Nos últimos meses, o Pará se viu diante do aumento do registro de casos da síndrome mão-pé-boca. Segundo a pediatra Mara Freitas, do Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), o tratamento é sintomático e requer repouso, hidratação e boa alimentação.

“A doença é causada pelo vírus Coxsackie e dura de cinco a dez dias. Começa com um quadro de febre alta, que pode ser acompanhada de mal-estar, falta de apetite, diarreia e vômito. Depois começam a aparecer lesões avermelhadas na boca, faringe e garganta, que evoluem para ulcerações do tipo afta e são extremamente dolorosas, e pequenas lesões bolhosas ao redor da boca, nas mãos e pés”, explica a médica.

Em geral, as crianças são o principal alvo do vírus, mas adultos também podem ser contaminados, embora seja mais raro. A transmissão se dá por via fecal-oral, a partir do contato direto com fezes, secreção, saliva, além de objetos e superfícies que tiveram contato com a gotícula ou secreção contaminada.

Por conta do alto risco de contágio, é importante que o paciente com a síndrome mão-pé-boca evite contato com outras pessoas, especialmente no período em que estiver com as lesões. Ressalta-se que o problema pode ser transmitido até quatro semanas depois que a pessoa apresenta melhora.

Como medidas de prevenção, é importante que todas as vezes em que o responsável pela criança for trocá-la ou levá-la ao banheiro, lave bem as mãos, e tenha cuidado com o descarte de fraldas e lenço umedecido, pois o vírus fica nesses materiais também. Além disso, recomenda-se higienizar com água sanitária o local onde a criança estiver brincando, além de itens compartilhados, como brinquedos.

Sintomas – Febre alta, aparecimento de manchas vermelhas na boca, amídalas e faringe e erupção de pequenas bolhas nas palmas das mãos e nas plantas dos pés.

(Agência Pará)

Vale do Xingu promove palestra de crescimento pessoal para funcionários

Seguindo a programação de 30 anos, a Vale do Xingu ofereceu aos seus colaboradores o treinamento “O Despertar do Poder Pessoal”. O evento está dentro das programações de aniversário da empresa. Para o diretor executivo Leonardo Barros, o curso ofertado “está de acordo com parte da missão da Vale de contribuir com o desenvolvimento das pessoas”.

O conteúdo promoveu a reflexão ao participante quanto a definição de onde se quer chegar, como está sendo a forma de viver a vida e quem é o responsável pelo sucesso ou fracasso profissional e pessoal dos participantes. “Essas técnicas de autoconhecimento proporcionam um mergulhar profundo no ser humano e através disso é possível identificar suas potencialidades e seus desafios pessoais, e dessa forma, você consegue trilhar uma vida mais consciente e evoluir mais rápido”, explicou a consultora master coach, Thelly Moreira.

Para a jornalista e apresentadora Raiany Brito, foi uma oportunidade de avaliar e refletir o dever como comunicador e de que forma melhorar o rendimento e o relacionamento com os colegas. “Acredito que a Vale do Xingu tem esse diferencial, é uma empresa que incentiva o crescimento não só profissional, como pessoal. Foi um presente que vou levar para toda a vida, saio desse momento muito mais encorajada para levar notícia e crescer na TV e no rádio”, contou a profissional.

Programas que promovem o bem-estar no trabalho beneficiam não somente o empregado, mas a empresa como um todo, uma vez que a promoção de hábitos saudáveis entre os colaboradores reflete em uma melhora no desempenho deles. “O mundo empresarial é muito frio, é preciso lidar com a emoção da pessoas”, explicou Thelly.

O efeito é a longo prazo e estas iniciativas melhoram o relacionamento entre os funcionários. Um profissional saudável, que se sente bem no ambiente de trabalho, produz muito mais do que aquele que não se sente bem. O lucro continua sendo importante, mas respeitar e valorizar os colabores é fundamental nesse processo.

Sínodo: “Amazônia pede à Igreja que seja sua aliada”

O mundo amazônico pede à Igreja que seja sua aliada: esta é a alma do Documento de Trabalho (Instrumentum Laboris) publicado na manhã de hoje (17 de junho) pela Secretaria Geral do Sínodo dos Bispos e apresentado à imprensa.

O Documento é fruto de um processo de escuta que teve início com a visita do Papa Francisco a Puerto Maldonado (Peru) em janeiro de 2018, prosseguiu com a consulta ao Povo de Deus em toda a Região Amazônica por todo o ano e se concluiu com a II Reunião do Conselho Pré-Sinodal, em maio passado.
O território da Amazônia abrange uma parte do Brasil, da Bolívia, do Peru, do Equador, da Colômbia, da Venezuela, da Guiana, do Suriname e da Guiana Francesa, em uma extensão de 7,8 milhões de quilômetros quadrados, no coração da América do Sul. Suas florestas cobrem aproximadamente 5,3 milhões de km2, o que representa 40% da área de florestas tropicais do globo.

A primeira parte do documento, “A voz da Amazônia”, apresenta a realidade do território e de seus povos. E começa pela vida e sua relação com a água e os grandes rios, que fluem como veias da flora e fauna do território, como manancial de seus povos, de suas culturas e de suas expressões espirituais, alimentando a natureza, a vida e as culturas das comunidades indígenas, camponesas, afrodescendentes, ribeirinhas e urbanas.

Vida ameaçada, ameaça integral

A vida na Amazônia está ameaçada pela destruição e exploração ambiental, pela violação sistemática dos direitos humanos elementares de sua população. De modo especial a violação dos direitos dos povos originários, como o direito ao território, à autodeterminação, à demarcação dos territórios e à consulta e ao consentimento prévios.

Rios, manancial de povos

Segundo as comunidades participantes nesta escuta sinodal, a ameaça à vida deriva de interesses econômicos e políticos dos setores dominantes da sociedade atual, de maneira especial de empresas extrativistas. Atualmente, a mudança climática e o aumento da intervenção humana (desmatamento, incêndios e alteração no uso do solo) estão levando a Amazônia rumo a um ponto de não-retorno, com altas taxas de desflorestação, deslocamento forçado da população e contaminação, pondo em perigo seus ecossistemas e exercendo pressão sobre as culturas locais.

O clamor da terra e dos pobres

Na segunda parte, o documento examina e oferece sugestões às questões relativas à ecologia integral. Hoje, a Amazônia constitui uma formosura ferida e deformada, um lugar de dor e violência, como o indicam de maneira eloquente os relatórios das Igrejas locais recebidos pela Secretaria Geral do Sínodo.

Há quem se sinta forçado a sair de sua terra; muitas vezes cai nas redes das máfias, do narcotráfico e do tráfico de pessoas (em sua maioria mulheres), do trabalho e da prostituição infantil. Trata-se de uma realidade trágica e complexa, que se encontra à margem da lei e do direito.

Território de esperança e do “bem viver”

Os povos amazônicos originários têm muito a ensinar-nos. Reconhecemos que desde há milhares de anos eles cuidam de sua terra, da água e da floresta, e conseguiram preservá-las até hoje a fim de que a humanidade possa beneficiar-se do usufruto dos dons gratuitos da criação de Deus. Os novos caminhos de evangelização devem ser construídos em diálogo com estas sabedorias ancestrais em que se manifestam as sementes do Verbo.

Povos nas periferias

O Documento de Trabalho analisa também a situação dos Povos Indígenas em Isolamento Voluntário (PIAV). Segundo dados de instituições especializadas da Igreja (por ex., CIMI) e outras, no território da Amazônia existem de 110 a 130 diferentes “povos livres”, que vivem à margem da sociedade, ou em contato esporádico com ela. São vulneráveis perante as ameaças… do narcotráfico, de megaprojetos de infraestrutura, e de atividades ilegais vinculadas ao modelo de desenvolvimento extrativista.

Pará, comunidade ribeirinha do Rio Tapajós

A Amazônia se encontra entre as regiões com maior mobilidade interna e internacional na América Latina. De acordo com as estatísticas, a população urbana da Amazônia aumentou de modo exponencial; atualmente, de 70 a 80% da população reside nas cidades, que recebem permanentemente um elevado número de pessoas e não conseguem proporcionar os serviços básicos dos quais os migrantes necessitam. Não obstante tenha acompanhado este fluxo migratório, a Igreja deixou no interior da Amazônia vazios pastorais que devem ser preenchidos.

Igreja profética na Amazônia

Enfim, a última parte do Documento de Trabalho chama os Padres Sinodais da Pan-amazônia a discutirem o segundo binário do tema proposto pelo Papa: os novos caminhos para a Igreja na região.

(site Vatican News)

Carro colide de frente com motocicleta

Ruan Rubens Rabelo, de 26 anos pilotava a motocicleta e Alexandre Nascimento Da Silva, de 28 ,estava na garupa. O acidente foi por volta de 23h de sábado (15). A moto estava no sentido contrário do carro e a  batida foi de frente.

Segundo informações do Departamento Municipal de Trânsito – Demutran, chegando ao local Alexandre estava com fratura exposta na perna. Os dois foram encaminhados para o Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT). O motorista da caminhonete fez o exame do etilômetro, mas não acusou que ele estivesse sob efeito de álcool.

(Athaynara Farias)