Para LGBTs e familiares o medo da violência é constante, “sinto isso 24h por dia”

Na semana passada 6 dos 11 ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) votaram a favor da criminalização da homofobia e transfobia. A maioria votou para enquadrar a ação como crimes de racismo. Para o Supremo, o Congresso foi omisso ao passar anos sem legislar sobre a questão.

Amanda (direita) com a namorada Milkerllandia Gomes.

Por mais que a votação não tenha sido concluída, muitos já consideram uma conquista. É o caso da Amanda Kassia Brito Ramos, formada em Letras Língua Inglesa pela UFPA, ela é ativista LGBT ao lado da namorada e comemorou a decisão. “As vozes LGBTs ecoam por muito tempo por justiça e agora estamos sendo ouvidos(as)[…]vemos isso de certa forma como proteção às nossas vidas, e combater qualquer ação homofóbica em nossa sociedade se torna uma vitória imensa.”, declarou.

A votação será retomada no dia 5 de junho com os votos dos outros cinco ministros. Até o momento, votaram para enquadrar homofobia e transfobia na lei de racismo os ministros Celso de Mello, Edson Fachi, Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber e Luiz Fux.

“Não dou a ninguém o direito de decidir se meu filho pode ou não ser gay ” Angelita Marques dos Reis

As ações pedem a criminalização de todas as formas de ofensas, individuais e coletivas, homicídios, agressões e discriminações motivadas pela orientação sexual e/ou identidade de gênero, real ou suposta, da vítima. No fim da votação, caso seja considerada crime, a homofobia será enquadrada da mesma forma que o racismo. Isso significa que o crime seria inafiançável, imprescritível, com penas de um a três anos.

Angelita com o filho Marcos.

Angelita Marques dos Reis é autônoma e mãe do estudante Marcos Medalha, que é gay. Ela conta que o medo da agressão existe 24h por dia. Para ela a decisão é uma conquista, mas a mudança está distante. Isso porque, muitas vezes, o preconceito começa em casa. Ela conta como foi quando o filho compartilhou a orientação sexual. “O meu primeiro pensamento, sem dúvida, foi o de como protegê-lo. Essa sem dúvida é a parte mais difícil, porque o preconceito começava em casa. Nessa hora, percebemos que nossa família pode se romper. E minha preocupação era: estou rompendo, mas não é culpa sua”, contou Angelita.

No brasil a homofobia mata uma pessoa a cada 16 horas. O país é onde mais se assassina homossexuais no mundo. “Todos os dias ao sair de casa não sabemos como será nossa trajetória por mais que você planeje ela, ainda mais quando és LGBT, queira ou não temos na sociedade pessoas que não aceitam a forma de amar (LGBT) “, desabafa Amanda.

Enfrentar o preconceito é necessário. “Não devemos nos calar diante de situações que afete nossas vidas. Enfrento isso com muita resistência e sede de luta a cada amanhecer, com sabedoria de fortalecer o próximo e juntos não soltar as mãos”, explica a ativista.

” Nenhuma vida LGBT a menos.” Amanda Kassia Brito Ramos

Angelita também enfrenta discriminação de nariz erguido. “Na verdade, não dou a ninguém o direito de decidir se meu filho pode ou não ser gay! Pra mim, sempre foi, se ele tem caráter ou não! E como sei que tem, acabo sendo até arrogante, quando se trata dos gostos, preferências ou condição! Tenho convicção, que está nas nossas casas a mudança! Quando mostro que não me interessa a condição sexual dele, termino por mostrar ao meu redor, que estou pronta pra defendê-lo, e aos que sofrem com isso”, finaliza.

(Mayara Freire)

Uruará abre 941 vagas em processo seletivo simplificado

A Prefeitura Municipal de Uruará abriu um novo edital de processo seletivo simplificado para preenchimento de 941 vagas em cargos de níveis fundamental, médio, técnico e superior, sendo 596 de preenchimento imediato e 345 para formação do cadastro de reserva.

As vagas destinadas são para os cargos de Cuidador de Pessoas, Eletricista, Encanador, Gari, Agente de Combate a Endemias, Motorista, Operador de Máquinas Leves, Operador de Máquinas Pesadas, Operador de Motosserra, Serviços Gerais, Vigia , Recepcionista, Soldador, Borracheiro, Carpinteiro, Coletor de Lixo, Coveiro, Pedreiro, Pintor, Porteiro e Servente (nível fundamental).

Assistente de Gabinete, Assistente de Licitação, Assistente de RH, Operador de Computador, Operador de Raio X, Secretário Escolar, Técnico em Laboratório, Técnico em Enfermagem, Técnico Agrícola, Técnico em Controle e Avaliação, Auxiliar de Administração, Auxiliar de Consultório Odontológico, Auxiliar Técnico em Educação, Agente de Vigilância Sanitária, Assistente de Administração, Assistente Tributário, Fiscal de Tributos e Office Boy (nível médio/técnico).

Engenheiro Florestal, Farmacêutico, Fisioterapeuta, Nutricionista, Professor de Inglês, Professor de Português, Professor de Matemática, Professor Magistério/Pedagogia, Professor de Artes, Supervisor Escolar, Veterinário, Engenheiro Civil, Odontólogo, Professor de Ciências, Professor de Educação Física, Psicólogo, Assistente Social, Enfermeiro , Engenheiro Agrônomo, Professor de Geografia, Professor de História e Orientador Escolar (nível superior). As remunerações oferecidas oscilam entre R$ 998,00 a R$ 2.600,00.

Os interessados em concorrer a uma das vagas poderão se inscrever entre o período de 27 de maio e 13 de junho de 2019, no endereço eletrônico IVIN (www.ivin.com.br). O valor da inscrição oscila entre R$ 50,00 (nível fundamental), R$ 70,00 (nível médio) e R$ 100,00 (nível superior).

Provas Prefeitura de Uruará PA 2019

O processo de Uruará PA consistirá com provas objetivas (para todos) de múltipla escolha e prova prática para os cargos de Operador de Motosserra, Operador de Máquinas Leves e Operador de Máquinas Pesadas. As avaliações objetivas serão aplicadas nos dias 06 e 07 de julho, em locais a serem informados no dia 01 de julho.

O gabarito provisório será divulgado no dia 07 de julho e o gabaritos definitivos no dia 15 de julho, no site já citado. A validade da seleção será de 12 meses, a contar da data de homologação do resultado final, prazo este que poderá ser prorrogado uma vez, por igual período, a critério da administração municipal.

Informações do concurso

Concurso: Prefeitura Municipal de Uruará PA 2019
Banca organizadora: IVIN
Escolaridade: fundamental, médio, técnico e superior
Número de vagas: 941
Remuneração: R$ 998,00 a R$ 2.600,00
Inscrições: até 13 de junho de 2019
Taxa de Inscrição: R$ 50,00, R$ 70,00 e R$ 100,00
Provas: 06 e 07 de julho de 2019
Situação: PUBLICADO

(Noticias COncursos)

Defensoria move ação contra a empresa Norte Energia

A defensoria pública entrou com uma ação civil pública contra a Norte Energia para que a empresa indenize o valor da terra nua as famílias que tiveram os imóveis desapropriados extrajudicialmente pela empresa desde 2014 nas área dos igarapés Panelas, Altamira e Ambé afluentes do rio Xingu, que hoje fazem parte do reservatório da Hidrelétrica na área urbana de Altamira.

“Essa ação já está tramitando na vara agrária, mas fragmentamos para não ter tumulto processual porque uma coisa é discutir a propriedade e outra coisa é a indenização pela perda da posse”, explicou a defensora pública, Andreia Barreto.

De acordo com a defensoria, as famílias que não conseguiram apresentar o título de propriedade registral não receberam o valor avaliado do terreno. As indenizações pagas foram apenas pelas benfeitorias feitas. “Muitas aderiram ao contrato porque não tinham outra alternativa”, disse a defensora.

É caso do seu Janildo Carlos Freitas que morava próximo ao igarapé Ambé, as margens da rodovia Ernesto Acioly desde 1986. Ele afirma que a empresa deixou de pagar mais de R$80 mil referente ao terreno desapropriado em 2015.

Seu Josildo também faz parte dessas famílias, ele conta que foi obrigado a aceitar e assinar o contrato onde abria mão do direito de posse da área, deixando de receber mais de R$ 180 mil. Para ele, a ação traz esperanças de ter o direito devolvido.

Assim como eles outras famílias também estão na lista para receber as indenizações retidas, com reajuste corrigido referente a 5 anos, caso a ação tenha uma decisão favorável, já que a defensoria entende que o direito a posse e ao uso da área com mais de 10 anos não foi respeitado pela empresa.

Em nota a Norte Energia informou que ainda não foi citada. “Quando formalmente acionada, a empresa se manifestará nos prazos legais estabelecidos.”

Polícia cumpre mandados de prisão contra autores de feminicídio e homicídio no Pará

A Polícia Civil deflagrou nesta terça-feira (28) a operação Cronos II, para cumprir mandados de prisão contra autores de feminicídios e homicídios tentados e consumados. A operação ocorre no Distrito Federal e em 21 estados, entre eles o Pará. A operação é realizada na capital paraense, região metropolitana e interior.

Em Altamira mandados de busca e apreensão também estão sendo cumpridos. O delegado Fernando Marcolino está na rua com as equipes. Durante a manhã os policiais estiveram no bairro Brasília.

O trabalho, que envolveu mais de 300 policiais civis, iniciou às 5h e já prendeu 21 pessoas. O monitoramento da operação é realizado no Centro Integrado de Comando e Controle Nacional do Ministério da Justiça e Segurança Pública, em Brasília.

Agricultores denunciam Norte Energia por descumprir acordo de preservação

Aproximadamente 50 agricultores estiveram no Ministério Público Federal para participar da reunião. São moradores de diversas localidades, como gleba Bacabal, Paratizinho I e II e outras regiões em volta do rio Xingu. Segundo eles, a empresa responsável pela construção da Usina Hidrelétrica Belo Monte, teria indenizado parte dos terrenos que ficam próximos ao rio e que áreas poderiam ser utilizadas para a agricultura, mas a empresa teria descumprido esse acordo.

Ronaldo Rodrigues é agricultor e vive há mais de 40 anos com a família no ramal Novo Xingu, hoje ele se sente inseguro porque, segundo ele, as famílias estão impossibilitadas de continuar vivendo da agricultura já que parte da área estaria sendo utilizada para reassentar ribeirinhos.

Sem resposta, eles decidiram ir até o escritório da Norte Energia localizado no Reassentamento Urbano Coletivo Jatobá para tentar conversar com alguma representante empresa.

Em nota, a norte energia informou que não participou da referida reunião, e que está à disposição dos agricultores para tratar sobre o assunto

Obra tem causado rachadura nas casas do Independente II, denunciam moradores

A televisão agora fica no chão.  Na casa do autônomo Douglas Nascimento, que mora no Jardim Independente II, os móveis também tiveram que ser afastados da parede por causa das rachaduras que a cada dia ficam maiores.  Elas são visíveis por toda casa, de acordo com o morador, os serviços de instalação da rede de esgoto estariam causando o problema. “No começo do serviço no mês de maio começou as rachaduras”, reclama.

Segundo os moradores as rachaduras começaram a aparecer depois que uma empresa terceirizada da Norte Energia começou a realizar os trabalhos, na rua Nicolau Martins. Em outra residência, o reboco rachou, assustando a família. O eletricista, Lino Ladeiro da Costa é outro morador que está com a estrutura da casa comprometida. Ele mora no local há mais de 20 anos e conta que agora, passa noites acordado com medo de algo pior acontecer. Ele pede providências urgentes.  “de noite eu fico medo de dormir aqui e essa parede cair”, desabafa Lino.

Um buraco enorme foi feito no meio da via pelas máquinas.  De acordo com as famílias da área, um engenheiro teria chegado a ir nas casas ver a situação, mas até momento nada foi feito por parte da empresa pra tentar resolver o problema. Em nota a Norte Energia informou que enviará uma equipe técnica até a via e tomará as medidas cabíveis para resolver a questão, caso seja de sua responsabilidade.