Indígenas de 5 etnias bloqueiam km 27 da BR-230

A dona Irenildes Santos é pensionista e tem como destino o município de Novo Repartimento. Porém, ao pegar a estrada ela se deparou com um bloqueio realizado por indígenas no km 27, próximo a Altamira.

Cinco etnias realizam um bloqueio na BR-230 em frente a um hotel. Cerca de 250 indígenas participam da manifestação e a previsão é que mais alguns da etnia arara cheguem até segunda-feira. Eles reivindicam as escolhas das empresas que irão prestar serviço dentro das aldeias. O bloqueio faz com que uma fila de veículos se forme no local.

O intervalo para liberação da via eram de 1h30. Os veículos com enfermos, crianças e ambulâncias são liberados para passar. A Polícia Rodoviária Federal esteve no local e tentou negociar a liberação do tráfego com os indígenas a cada meia hora.

Norte Energia

Em nota, a Norte Energia informou que “a empresa elaborou Termo de Referência para contratação das empresas executoras do Plano Básico Ambiental do Componente Indígena (PBA-CI) pelo prazo de 24 meses, e apresentou o documento para as comunidades indígenas, com acompanhamento da FUNAI, de modo que não houvesse interrupção de continuidade dos projetos até a conclusão da revisão do referido PBA-CI.

Uma vez que Termo de Referência foi apresentado para as comunidades indígenas, a Norte Energia, consubstanciada em práticas de governança e orientação dos seus acionistas, foi ao mercado selecionar empresas que detivessem comprovada competência técnica para a execução dos referidos programas e projetos.

As empresas que já prestavam serviços nas comunidades indígenas também foram convidadas a participar deste processo, com exceção daquelas que não foram recomendadas pela área de “Compliance” da Norte Energia. Boa parte das atuais empresas prestadoras de serviços passaram pelo processo de seleção e atenderam adequadamente às condições empresariais, sendo, portanto, recontratadas.

Para surpresa, após o anúncio das empresas executoras que venceram o processo de seleção para execução dos programas e projetos referidos, algumas aldeias, sob a liderança do indígena conhecido como Léo Xipaya, justo as que terão novas empresas prestadoras de serviços, decidiram por estabelecer movimento de protesto que já se estende há alguns dias.

Vale ressaltar que da mesma forma que o Termo de Referência foi apresentado para as comunidades, a Norte Energia estará nos próximos dias realizando agendas com as novas empresas executoras nas aldeias, para estabelecer as condições de atuação e desenvolvimento dos trabalhos em comum acordo com os indígenas.

Na oportunidade, a Norte Energia discutirá com as comunidades uma agenda de acompanhamento dos trabalhos, ocasião em que será avaliada a evolução das atividades e eventuais inconformidades.

Por fim, a Norte Energia reitera sua posição de respeito e diálogo com as populações indígenas, ao tempo que repudia ações que gerem transtorno à população da região e impactem nas atividades da Usina Hidrelétrica Belo Monte na tentativa de negociar com a Empresa.”

Maio terá bandeira amarela na tarifa de energia elétrica

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que a bandeira tarifária para maio será amarela, com custo adicional de R$ 1 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumido. De acordo com a agência, embora a previsão hidrológica para o mês indique tendência de vazões próximas à média histórica, “o patamar da produção hidrelétrica já reflete a diminuição das chuvas, o que eleva o risco hidrológico e motiva o acionamento da bandeira amarela”.

“Diante da perspectiva de que as afluências aos principais reservatórios fiquem perto da média, o preço esperado para a energia (PLD) deve permanecer próximo ao registrado nos últimos meses”, informou a Aneel.

Sistema

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado, de acordo com a Aneel, para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. A adoção de cada bandeira, nas cores verde (sem cobrança extra), amarela e vermelha (patamar 1 e 2) está relacionada aos custos da geração de energia elétrica.

Na amarela há o acréscimo de R$ 1 a cada 100 kWh consumido. Na vermelha, no patamar 1, o adicional nas contas de luz é de R$ 3 a cada 100 kWh; no 2, o valor extra sobe para R$ 5.

Dicas de economia

Para evitar aumento significativo nas contas, a Aneel dá dicas para que os consumidores economizem energia. Entre elas a de, no caso do uso de chuveiros elétricos, tomar banhos mais curtos. A agência sugere também a diminuição no uso do ar-condicionado e que, quando o aparelho for usado, que se evite deixar portas e janelas abertas, além de manter o filtro limpo.

A Aneel indica, ainda, que o consumidor tenha atenção para deixar a porta da geladeira aberta apenas o tempo que for necessário e que nunca se coloque alimentos quentes em seu interior. Uma outra dica da Aneel para que o consumidor economize energia é a de juntar roupas para serem passadas de uma só vez e que não se deixe o ferro de passar ligado por muito tempo.

(Agência Brasil)